18 de maio de 2010

Duplo Veneno: Dolores e Edmunda


A Língua de Dolores

Dolores colocou sua roupa suja na máquina de lavar. Mas o motor prendeu a saia justa.

Ao inclinar-se para tentar salvar a sainha, Dolores caiu de corpo inteiro na lavadoura. E sua língua também ficou grudada no motor. Após isso, a máquina passou a emitir um barulho estranho e intenso.

A vizinha apareceu, socorreu a megera, mas não perdeu a oportunidade de cutucá-la:

– Estava querendo lavar tua língua, Dolores? Não há sabão em pó que dê jeito. Nem máquina de lavar que faça esse milagre.


Relembre a trajetória de Dolores:
O Prato de Dolores
Família Secreta na Roça (Dolores é desmascarada)






Edmunda

Edmunda é cobra criada. Suas lágrimas são de crocodilo. Seu abraço é de tamanduá. Adora ver o circo pegar fogo; ela pode até não ter provocado o incêndio, mas com certeza coloca mais lenha na fogueira.

Mas não se espantem. Edumuda é irmã de Dolores.





30 comentários

Reflexo d Alma 18 de maio de 2010 20:44  

Huahuahua!
Mas não é que tem gente que so espera
um deslize do outro
pra pegar no pé?
Mas em fim...
Saudades daqui!
Bjins entre sonhos e delírios

Wanderley Elian Lima 18 de maio de 2010 20:51  

Olá Avaldier
Adorei a história de Dolores e Edmunda. Que família distinta.
Grande abraço

Rute 18 de maio de 2010 20:54  

Por essa Dolares, não esperava hein?
Beijinhos e ótima quarta-feira a vc Valdeir!

Rute 18 de maio de 2010 20:57  

E a Edmunda, também não fica atras, afff...rsrsrs...
Não conhecia essa história de Dolares e Edmunda, quem é o autor e o nome do livro?
Beijinhos

Valdeir Almeida 18 de maio de 2010 21:00  

Rute,

Todos os textos (incluindo os contos) publicados aqui, no Blog Ponderantes, são de minha autoria: Valdeir Almeida.

Beijos.

Rute 18 de maio de 2010 21:00  

Me desculpe Valdeir, li outros textos , e visualizei que foi vc que escreveu, parabéns!

brasildobem 18 de maio de 2010 21:17  

rsrrs...gostei das estórias, a da língua e a máquina de lavar acho que cai como uma luva para muita gente.
Anraços,
Janeisa

Sumie 19 de maio de 2010 01:31  

Valdeir pior que existe muita família assim no mundo,muito boa suas histórias.
Bjs!

Neto 19 de maio de 2010 12:24  

E há muitas pessoas por aí assim... Iguais a Edmunda e a Dolores.

Abraços Valdeir!

Daniel Savio 19 de maio de 2010 17:57  

Hua, kkk, ha, ha, mas espero que não precise de forma tão drastica para ocorrer a mundança de comportamento real deste tipo de pessoa...

Fique com Deus, menino Valdeir.
Um abraço.

Weslley Almeida 19 de maio de 2010 23:40  

Se a máquina de lavar realmente conseguisse cumprir esta função, teriámos mais uma grande utilidade para este eletrodomestico...! :}

Psiquismo Desmistificado 20 de maio de 2010 11:21  

Meu amigo Valdeir,
De Dolores a Edmundas não há sabão suficiente que lave essas bocaas imundas.
Um grande abraço amigo.

Obs: Não sei se viu, mas deixei um selo para ti no post "Luz do Sol"

Wilson 20 de maio de 2010 13:27  

E quantas Dolores - homens e mulheres - não existem por aí, não é, Valdeir?

Grande abraço, meu amigo!

Andreia 20 de maio de 2010 17:31  

Olá querido Valdeir!
Bem feito para Dolores,
Edmunda devia tê-la deixado por mais um tempinho
com a língua batendo na máquina e poderia também ter colocado cloro ou Venish que são alvejantes, quem sabe não saíria um pouquinho mais "limpa", rsrsrsr
Ótimo texto amigo.
Doce beijo na alma.
Ah! Amei tua visita, viu!
Beijinhos.....

Gleydson™ 20 de maio de 2010 18:00  

O veneno vem de famila...
Imagine como deve ser a mãe dessas duas!!

Abraços amigo
=D

Roberto Hyra 20 de maio de 2010 19:36  

Não há nada mais incômodo do que alguem com uma lingua ferina por perto. Uma pessoa mal amada, pernóstica, negativa e invejosa. Apesar de sei texto ser uma paródia eu evito ter contato com esse tipo de gente. Sei que é quase impossível, mas ao menos busco evitar.

Grande abraço professor!

20 de maio de 2010 19:45  

Uau...não sabia que as histórias de de Dolores e Edmunda eram suas!!!
que bom saber que conheço mais um maravilhoso escritor.
Meu querido, tem gente que fica assim mesmo só na espreita para dar o bote. Adorei as histórias.
Seus textos são sempre encantadores.
Amigo, já tem algum livro escrito? Se tiver por favor nos conte. Se não passou da hora de publicar.
Beijos e beijos!
Obrigada pelo carinho de sempre!

Marise von 20 de maio de 2010 20:09  

Valdeir,

Penso que as pessoas deveriam usar e seguir o imperativo categórico do filósofo Kant, mas somente por vontade própria, ninguém muda se não tiver vontade...
nós agimos conforme a nossa bel vontade, e ninguém consegue mudar "a língua".... se não quiser.
Milagres.... dependem da nossa vontade, do nosso querer.


Um grande abraço,
Marise.

Citando o Filósofo Kant:

"Imperativo Categórico:

Age somente, segundo uma máxima tal, que possas querer ao mesmo tempo que se torne lei universal.

Imperativo Universal:

age como se a máxima de tua ação devesse tornar-se, por tua vontade, lei universal da natureza.

Imperativo Prático:

age de tal modo que possas usar a humanidade, tanto em tua pessoa como na pessoa de qualquer outro, sempre como um fim ao mesmo tempo e nunca apenas como um meio."

Kant E. Fundamentos da metafísica dos costumes. Rio de Janeiro: Ediouro, sd:70-1,79.

Carlos Augusto Matos 20 de maio de 2010 23:12  

Essas duas nem o Diabo aguenta...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Abração...

Pelos caminhos da vida. 21 de maio de 2010 00:00  

Faço das palavras de Weslley Almeida as minhas, rs.

beijooo.

Renato Orlandi 21 de maio de 2010 12:03  

AHsuhasuhsuahushasuahsuaa...

Nossa, mas quando tempo você passou onde eu faço estágio para descobrir tudo isso?

Abraçoo!

DEZCARGA 21 de maio de 2010 20:08  

Com esse nome só podia ser megera... Edmunda. rsrsrs.
Ah minha tia se chama Dolores, e tbm não perde a oportunidade de cotucar os outros.
parabéns pelos textos. Grande abrç.

Prof. Adinalzir 21 de maio de 2010 22:12  

Esse é o melhor castigo para aqueles que falam demais! E eles são que nem cobras. Rsss.

Um ótimo fim de semana!

•.¸¸.•*♥*•.¸¸.• Sanzinha •.¸¸.•*♥*•.¸¸.• 22 de maio de 2010 00:03  

Valdeir,

Sinta-se à vontade para estar em nosso meio sempre que quiser!
A amizade é um tesouro que nos enriquece mais a cada vez que partilhamos. Suas visitas são um presente!

Beijos e ótimo fim de semana!

Wilson 22 de maio de 2010 01:19  

Amigo, Valdeir...

Obrigado pela visita!

Lí seu comentário e te convido a fazer parte dos meus amigos especiais.

Acredite!
Te acho um ser humano super e gostaria muito que
você fizesse parte da nossa turma. Vou te fazer um convite mas, preciso do seu email pode ser?
Um abraço, feliz fim de semana um beijo na alma.

Não esquece de passar seu o email ok?

Deus é contigo!

Ah! Esquecí..me confirma também a data do teu Niver pode ser?

Vanessa Alves 22 de maio de 2010 12:57  

Nossa!!!! Gente que fala mal dos outros e da lingua grande é o ó! Deus me livre!

Bjos professor!

digitaqueeuteleio 22 de maio de 2010 15:10  

Muito legal, Valdeir, dá para encaixar muitas Dolores nesta lavadoura! rss

Parabéns pelo texto, muito bom!
Abraço.
Marcelo.

Wanderley Elian Lima 22 de maio de 2010 17:38  

Estou começando a ficar com peninha da Dolores. Será que ela é tão má assim?
Abração

Rute 22 de maio de 2010 19:26  

Valdeir você confirmou exatamente o que me perguntaram em um dos e-mails .(referente minha última postagem no Literatura Infantil)Lúdico na literatura
Bejinhos a vc

Vanna 22 de maio de 2010 20:28  

Se são irmãs, talvez puxaram a mãe. rs
Abraços, ótima nova semana.

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO