11 de janeiro de 2009

As consequências do fim do trema

Enfim, temos uma (parcial) unificação da ortografia do Português. Isso contribuirá de alguma para a divulgação do nosso idioma pelo mundo.


Entretanto, o trema não deveria ser aniquilado da forma como foi, pois ele tinha como função indicar que a letra u que o recebia era pronunciado. Um falante que não tem o Português como primeira língua, lerá, por exemplo, consekência em vez de consequência.


É certo que, nós falantes da língua de Machado de Assis, temos consciência de quando se deve ou não pronunciar a vogal u de uma palavra que lemos. No entanto, os estrangeiros que estão aprendendo o português (e até mesmo aqueles que já o falam com fluência) terão dificuldades a partir de agora. Algo lamentável já que – como mencionado antes – o objetivo precípuo é a divulgação do idioma.

Na questão do trema, o efeito foi o oposto: embora seja apenas uma parte da mudança, esse sinal diacrítico, em algum momento, deixará um estrangeiro em situação constrangedora.

8 comentários

André Egg 11 de janeiro de 2009 15:14  

Preocupa não,

tem coisa mais constrangedora pros estrangeiros.

Nossas formas verbais são complicadíssimas comparadas às da língua ingelsa, por exemplo.

Mas o mais difícil para os falantes de línguas ocidentais são nossos sons nasais (til e sílabas terminadas com "m" ou "n") que a maioria dos estrangeiros não consegue sequer ouvir, muito menos pronunciar.

De qualquer forma, português é apenas para ser faladas por pessoas muito inteligentes. he,he,he...

blogdocatarino.com 11 de janeiro de 2009 16:01  

Você tem razão, com o fim da trema eu acho que no futuro vai se pronunciar as palavras igual ao espanhol que dizendo ki nas palavras com qui, como em traquilo.

Luiz Antonio André 11 de janeiro de 2009 18:23  

Acho que a mudança deveria ser mais discutida nos meios academicos antes de ser colocada em prática.
Abraços

Rafael Silveira 13 de janeiro de 2009 15:45  

HEHE
A parada da "consekência em vez de consequência" é realmente complicada, não so essa, como disse o André Egg
Para um estrangeiro aprender o Português é complicadíssimo.
Formas verbais, conjugações, acentuações(que enfim foram cortadas algumas) e emfim várias outras regras chatíssimas!
Si bein que nóis poderiamu fala tudu qui neim colonu meismo!
É coisa de loiku!

HEHE

Abraço pra galera!
Att. Rafael Silveira

Darcy Mendes 15 de janeiro de 2009 16:07  

Pois é. Tem gente que nunca usou o trema na escrita. Mas para mim já está fazendo falta.

Obrigado pela visita e comentário.

Abraços

João Alberto 26 de janeiro de 2009 07:53  

Fico triste em pensar que não vou poder escrever cinqüenta no meu cheque. Será que vou ter que escrever cincoenta ou cincuenta? Hehe.
Vai ser ruim pra acostumar.
Abraços.

Anônimo 8 de outubro de 2009 23:57  

Não trema na linguiça.

Anônimo 30 de setembro de 2011 13:06  

O fim do trema é um absurdo mais que os nossos "linguistas" tiveram que ceder ante os políticos. Já que em lugar de facilitar para divulgar a nossa lingua de un geito fácil e racional, nao, agora já nao haverá diferença fonética entre as palabras preguiça é lingüiça. Aonde o trema reforçava bem a diferença entre ambas. Porém os nosssos "linguistas" podem ficar bem contentes de ter conseguido fazer prevalecer o absurdo sobre a coerência.

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO