Chega de Bullying – a história poderia ser diferente


Roteiro

CENA 1
O personagem tem 4 anos de idade. Na praça, ri de uma menina esquálida e visivelmente doente. A mãe do garoto acha “linda” a gargalhada do filho.

CENA 2
O personagem tem 8 anos. Está na escola há 4. Costuma promover pequenas maldades. Nesta cena, na sala de aula, ele hostiliza um coleguinha, porque este usava uma quase imperceptível pulseira rosa. A diretora chama atenção do pequeno sádico, e telefona para a mãe dele. Ela, rindo – como na Cena 1 – alega que não tem tempo para ir à escola, e atenua o episódio dizendo: “Deixa essa besteira pra lá. Isso é coisa de criança”.

CENA 3
O personagem tem 15 anos. Já repetiu o ano letivo diversas vezes. Na escola, ao lado de alguns colegas, ele aterroriza os estudantes negros, nordestinos, homossexuais – entre outros. Chegou a ser detido uma vez e encaminhado para a delegacia de menores infratores, mas para alívio da mãe, foi logo liberado, protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Nesta cena, ele agride um aluno portador de dislexia. Os funcionários da escola acodem a vítima, antes de acontecer uma tragédia maior. A diretora não tem a quem recorrer. A mãe do adolescente violento nunca deu importância às atrocidades do filho. E a polícia até que ajuda através da ronda escolar, mas a Justiça não dispõe de leis mais severas para coibir essa prática na escola.

CENA 4, Final
O personagem tem 26 anos. Possui um histórico de crimes que compreende, principalmente, agressão física e racismo. Suas vítimas do tempo da escola ainda tentam superar o trauma; e as atuais sabem que as cicatrizes das agressões corporais e emocionais tardarão a desaparecer. Nesta cena, ele está na esquina com sua gangue aguardando a próxima vítima. (Texto de Valdeir Almeida)



Prevenção e Combate

O bullying é um desvio de comportamento que deve receber atenção da família e da escola. Os pais precisam ficar atentos às primeiras manifestações de intolerância da criança e orientá-la a conviver pacificamente com quem é diferente dela. E se o desvio se instalar, transformando-se no bullying, eles devem enfrentar o problema, antes que seja tarde.

Já o papel da escola é observar os casos sutis e explícitos da questão. Ela não deve considerar o bullying como brincadeira agressiva entre estudantes, mas como um problema sério que deve ser combatido, mediante palestras, debates, confraternizações etc. Desse modo, o aluno aprenderá a dividir tolerantemente o mesmo espaço com colegas que não atendem a padrões pré-estabelecidos.

Se medidas preventivas e corretivas forem colocadas em prática, os roteiros das novas histórias podem ser diferentes. (Texto de Valdeir Almeida)


Esta é minha contribuição para a blogagem coletiva Chega de Bullying , promovida por Vanessa, do blog “Mãe é tudo igual”.



49 comentários:

  1. Oi Valdeir,

    Bem legal o texto. Real...

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi, Valdeir!
    Perfeito o enfoque de seu post, amigo!
    Nunca tinha visto o relato de um "efeito bullying" na vida de uma pessoa pelo histórico cronológico, como você fez!
    Pior que é isso mesmo, uma época a criança ofende, e os pais nada fazem, outra época a criança bate no coleguinha e os responsáveis ainda pedem para bater mais porque não querem que o filho cresça "frouxo", e por aí, vai...
    Até mesmo os palavrões devem ser cortados na tenra idade porque, por mais que seja "engraçadinho" ouvir a criança falando certas palavras, ela pode crescer achando que na vida tudo se resolve na base da violência!
    Adorei tudo o que escreveu e temos mais é que falarmos sobre o assunto, por mais que seja duro desenvolver essa temática...
    Beijos,
    Mary :)

    ResponderExcluir
  3. Oi Valdeir
    Passei para ver seu post e conhecer seu blog. Também estou participando da blogagem.
    Interessante a forma como mostra a evolução da questão e alerta sobre a prevenção.
    Abços.

    ResponderExcluir
  4. Valdeir, muito obrigada por participar da coletiva. Seu texto está perfeito. É o segundo que eu leio escrito por um professor e eu realmente precisava de professores gritando jundo comigo contra o bullying. Se puder dê uma passada hoje no blog e confira os demais posts participantes. Abração!

    PS: ainda não consegui colocar meus banners mas foi por falta de tempo, seu passo a passo tá guardado.

    ResponderExcluir
  5. Muito boa a reflexão! Abraços

    ResponderExcluir
  6. Valdeir, sei muito bem o que é isso.Eu própria fui vitima de bullying, na minha adolescência. Aos 13 anos pesava , 120 kilos.Era motivo de chacotas de garotas e garotos na escola, mas a minha obesidade era por causa de hormônios acelerados. Por mais que minha mãe fosse a escola falar com diretores e professores nada se resolvia. A minha mãe foi a peça fundamental para enfrentar aqueles que me hostilizava. Hoje 16 quase 17 anos depois de várias dietas para controlar esses hormônios, peso atualmente 53 kilos na altura de 1m70(peso de modelo como dizem). Não pareço nem de longe aquela adolescente "fora do padrão normal" como diz a sociedade.
    E como pedagoga, contadora de história, professora de Língua Portuguesa e Literatura que preserva o bem estar dos meus alunos,sempre estou atenta a qualquer tipo do efeito bullying.
    Beijos Valdeir, ótima semana a vc.

    ResponderExcluir
  7. Sou contra o Bullying da mesma maneira como sou contra a permissividade e tolerância dos adultos nestas questões. Você está certo. Este é um tipo de desvio comportamental que deve ser combatido e evitado desde cedo nas crianças, pois perseguir psicologicamente alguem e ocultar que fazem isso (sim! algumas crianças também sabem como esconder) não faz sentido como 'brincadeira'.

    É preciso refletir: o que está errado com essa criança? O que ela está sentindo? O que ela precisa saber para ficar mais segura?... Ou, que tipo de educação os pais estão oferecendo a ela em casa?

    Tudo precisa ter um diálogo aberto e até ser revisto quando situações como essas ocorrem com seus filhos.

    Como pai, acredito que todos queremos ter filhos adultos sadios e responsáveis. E a melhor forma de ter isso, creio, é ensiná-los desde cedo. Quando ainda são crianças.

    Ps: Resolvi participar da coletiva porque vi um selo aqui no seu Ponderantes, e também porque percebo a importancia deste assunto na Educação.

    Parabéns pelo texto. Muito bem escrito e elaborado.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Um absurdo isso meu... Essa juventude que nasce, só criando merda... Fico revoltado...

    Abração!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Temos que bater na tecla, falar sobre o assunto, alertar. O problema é que na maiorias dos casos os pais dentro de sua ignorancia nao iamginam as consequencias do mal q seu filho esta causando ao seu colega e a si mesmo, pq se nao for dominado em tempo as chances de vir a transformar-se em um futuro marginal é muito grande.

    Meire

    ResponderExcluir
  10. Continuando o seu relato, imagino essa ex-criança bulliemaníaca agredindo a mãe, ou a futura esposa ou os futuros filhos. Até mesmo matando!

    Esta educação errática onde os pais ensinam os filhos a tirar vantagens de todas as situações, ainda os colocarão em maus lençóis. Beijus,

    ResponderExcluir
  11. Olá, passei para ler sua participação.
    Com certeza isso tem que ser levado a sério por todos, escolas, pais, sociedades.
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Realmente muitos pais não dão a devida importância ao bullying praticado por seus filhos , sempre alegando ser coisa de criança. Mais tarde como você bem disse, as coisas mudam de rumo, aí é tarde demais.
    Abração

    ResponderExcluir
  13. Valdeir!
    Sua participação é bem pertinente com o que acontece nas escola e também fora dela. São atitudes assim, que precisamos discutir, refletir e tentar fazer o melhor que podemos.Interferir sempre que estiver ao nosso alcance.
    Se hoje é o dia de debatermos o tema bullying, então eu vim participar.
    Pois ele tem suas diversas manifestações, que precisam ser observadas.
    Algumas atitudes e comportamentos são comuns de um estudante vítima de bullying.
    Venha ver as demais no meu blog interação de amigos.
    http://sandrarandrade7.blogspot.com
    Estou tbém participando.
    Vamos todos lutar por esta causa.Vamos dizer não.Temos que lutarmos contra o tempo. Muitas coisas ruins já estam acontecendo.
    Muitos ainda estam cegos..Outros não querem se envolver. Mas nós podemos fazer a diferença..Divulgando e lutando..
    A batalha é nossa, não podemos perdê-la.
    Carinhosamente,
    Sandra

    ResponderExcluir
  14. Olá Professor Valdeir

    Não sabia que estava havendo uma blogagem coletiva. Interessante seu tema sobre o Bullying, pois eu exatamente agora estou estudando o significado do Ciberbulyying. Esta mesma situação por meio da internet.

    ResponderExcluir
  15. Excelente texto, amigo!

    A iniciativa da Vanessa também está de parabéns! Educar e conscientizar a sociedade sobre o bullying pode ser o melhor caminho para enfrentar e acabar com essa situação.

    Um forte abraço e uma excelente semana!

    ResponderExcluir
  16. Muito interessante a abordagem, gostei. As pessoas não conseguem ver essa relação, que começa ali, aos quatro anos e termina aos 26...
    Estou participando da blogagem coletiva: http://maebipolar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Perfeita a sua abordagem!!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  18. Valdeir,

    Concordo com você, a escola deve mediar a questão, e observar, sempre, o comportamento de seus alunos, para que possa agir com eficácia para evitar tais casos, e evitando piores consequências para agressores e vítimas.

    Parabéns pelo post, ele ilustra com precisão casos de bullying.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Perfeita a sua abordagem!!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  20. Muito interessante a abordagem, gostei. As pessoas não conseguem ver essa relação, que começa ali, aos quatro anos e termina aos 26...
    Estou participando da blogagem coletiva: http://maebipolar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Adorei a iniciativa, se eu soubesse participaria também, gostei muito da abordagem, é exatamente disso que temos que nos prevenir, o futuro desse tipo de comportamento só pode ser esse ou bem próximo, parabéns pela panorâmica, pela visão. Pena que começamos a falar disso e até a dar um nome a esse comportamento nesses tempos... Acontece desde que o mundo é mundo e as pessoas estudam juntas... Abraçoo!

    ResponderExcluir
  22. Adorei a iniciativa, se eu soubesse participaria também, gostei muito da abordagem, é exatamente disso que temos que nos prevenir, o futuro desse tipo de comportamento só pode ser esse ou bem próximo, parabéns pela panorâmica, pela visão. Pena que começamos a falar disso e até a dar um nome a esse comportamento nesses tempos... Acontece desde que o mundo é mundo e as pessoas estudam juntas... Abraçoo!

    ResponderExcluir
  23. Excelente análise, se percebe que o "bullying" vai se desenvolvendo desde os primeiros anos e a família é a maior incentivadora.
    bjs
    Janeisa

    ResponderExcluir
  24. Excelente análise, se percebe que o "bullying" vai se desenvolvendo desde os primeiros anos e a família é a maior incentivadora.
    bjs
    Janeisa

    ResponderExcluir
  25. Só hoje estou tendo um tempinho para ler as postagens da blogagem.
    Foi uma oportunidade de "exorcizar" algum fantasma que ainda existisse em função do sofrimento que passei ainda menina. Meu depoimento ajudou-me a trazer a tona algo que já havia esquecido ou talvez bloqueado.
    Assunto que precisa ser debatido em grande escala, pois na maioria dos casos as coisas vão acontecendo como brincadeirinhas.
    Grande abraço.

    Sua postagem está excelente!

    ResponderExcluir
  26. Muito bom o texto. Gostei.
    Obrigada pela visita e comentário.
    Abraço,
    Aline

    ResponderExcluir
  27. VALDEIR satisfação em tê-lo no meu blog.
    Volte outras vezes.
    Pois é isso, como já andei falando nessa blogagem, podemos juntos divulgar e incentivar o combate ao Bullying.
    Obrigada.
    Xeros!

    ResponderExcluir
  28. Como descrevi no blog do Net, fui vítima por 3 anos de bullying. Por ser feio e magricela, tive que surporta ser o "viadinho da sala". Tem texto no Sub Mundos. Um abraço.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  29. Sim Valdeir dezembro de 2010 completará 3 anos.
    Tudo começou aqui:

    sábado, 1 de dezembro de 2007
    Literatura-Infantil
    A literatura infantil, permite a criança ir além do real de sua imaginação do ouvir, ou ler uma história.
    A criança pode criar sua própria imagem diferenciando-se das outras.
    O objetivo desse blog tem como facilitador um instrumento essencial para a alfabetização.
    Existem gêneros, pelo qual podemos classificar uma história: dramas, romances, suspense, comédia.
    Para tanto deve propiciar um clima de descontração que facilite as descobertas a apreensão dos conteúdos bem como sua análise no contexto dos dias atuais.
    O ato de ler é necessário, e por isso deve-se utilizar essa ferramenta, a dos contos de fadas, como recurso pedagógico para estimular a imaginação e o aumento do vocabulário.

    Esse blog foi criado pela professora Rute por ser contadora de história infantis e se interessar por literaturas e contos infanto -juvenil, sobre orientação do professor Enio Moraes Júnior.

    Em 2007-1 postagem
    Em 2008 devido a correria do dia a dia, o blog teve 12 postagens .
    Em 2009 -34 postagens.
    Agora em 2010 , que estou me dedicando mais a ele.A sua supresa foi também de outros leitores e blogueiros quando coloquei a postagem.
    Beijos !

    ResponderExcluir
  30. Phodástico o texto! Parabéns Valdeir.
    E eu gostei da Blogagem. Muito importante mesmo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  31. ---> várias <---
    já não fui a tempo!

    ResponderExcluir
  32. Gostei , Valdeir. Há anos que trabalho cm os meus alunos esta temática. recebi, porque procurei, formação específica para isso. Um dos grandes problemas para combater esta forma de violência está , precisamente, na posição dos adultos em menorizar as atitudes classificando-as de "coisas de crianças"...até que um dia...
    no meu canto já tratei este assunto varias vezes,
    beijo

    ResponderExcluir
  33. Valdeir,

    é incrível as situaçõe spor que passam certas crianças nas escolas. Muita vez, com pouco caso das mães, que sem perceber (?), cria traumas na criança.
    Está na hora dos educadores, diretores e principalmente os pais de tomarem atitudes positivas e o mais importante, dar amor aos filhos, que pela correria do dia-a-dia, transfere para os professores o papel principal de educador.

    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  34. Ninguém merece, colégio, faculdade.. seja onde for! Vamos ser mais humanos e inteligentes CHEGA DE BULLYING!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  35. Está cada vez mais forte o combate ao Bullyng, visto que na internet, nos programas de tv, nas propagandas o tema vem sendo abordado várias vezes. Até dois anos atrás não se falava tanto do assunto, e, todo esse comentário, toda essa repercussão é positiva para o combate desse desvio de comportamento.
    Bom saber que por aqui você também está fazendo a sua parte.


    Beijo!

    ResponderExcluir
  36. Val,

    As quatro cenas retratadas por você tem uma similitude muito próxima do real e exemplifica, até, na prática, o que é bullying.
    Esta prática está embasada na intolerância narcisista de alguns. E deve ser combatida de forma eficaz, quando logo surgir na/no criança/adolescente.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  37. Oi Valdeir...essa prática é super antiga, porém hoje em dia está sendo combatida como merece, mas ainda há muito a ser feito para não só conscientizar, mais punir de alguma forma os que ainda insistem em fazer da vida um palco pra suas mazelas...
    Um abraço na alma...

    ResponderExcluir
  38. Valdeir, valeu!
    Tenho um filho de 22 anos que tem fobia social, hoje em dia. Parte disso pq sofreu muito nas escolas. Foi perseguido e maltratado em escolas famosas do Recife. Passou a infância trocando de colégio.
    Nesse tempo ainda não se falava em bulliyng. É preciso combater essa terrível violência nas escolas.

    Abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  39. É uma pena q muitos pais ainda acham q seus filhos apenas "brincam" d humilhar e desrespeitar os q não correspondem aos padrões.

    Abraços

    ResponderExcluir
  40. Prezado amigo Valdeir.
    O texto é brilhante, como tudo o que você faz.
    Só não é brilhante, constatarmos que nós mães muitas vezes, sem perceber, construimos esses "monstrinhos".
    Hoje encontrei a mãe do garoto que ameaçou meu filho na escola.
    Se desculpou, deu desculpas e colocou a responsabilidade do ato nas companhias que o filho tem.
    Se aquela história não mudar, talvez a encontre na porta da delegacia daqui uns anos.
    Penso que ensinar as crianças que suas atitudes tem efeitos e consequências e deixá-las arcar com o que fazem desde pequenas ajude no processo.
    Pequenos detalhes que vamos ensinando aos meninos ajudam na transformação do todo.
    Agora é difícil querer corrigir uma criança que critica os outros sem antes corrigir os pais.
    A criança copia de alguém.
    De quem ela copia a violência, os preconceitos, as palavras de ironia?
    Um grande abraço.
    Da amiga e fã de carteirinha.

    ResponderExcluir
  41. Olá Valdeir querido,
    desculpe minha ausência meu anjo,
    mas ando numa fase meia negra, sabe!
    Ótimo teu texto, eu mesma vim atentar para este desvio de comportamento a pouco tempo, não sabia que era uma doença e tão grave assim.
    Mas pelo pouco que li acredito que pais e mães por vezes são tão culpados quanto a criança, por se omitirem e até apoiarem achando que é tudo normal.
    Um mãe que age como as que você citou aqui, na minha opinião são tão doentes quanto os filhos.
    Parabéns pela tua brilhante participação!
    Terno beijo na alma...

    ResponderExcluir
  42. Os pais,as escolas,os professores,precisam fazer muito mais.Essa situação não pode contunuar assim.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  43. Valdeir, gostei do modo como vc descreveu o problema e suas possíveis consequências, a evolução é quase sempre assim, quem sabe juntos não conseguimos levar informação e conscientizar as pessoas, né? Abraços.

    ResponderExcluir
  44. Sou contra qualquer tipo de humilhação e agressão física.
    Espero que todos os devidos responsáveis à observar esses casos o façam.
    Bjs Valdeir
    Obrigado pela visita!
    Mila Lopes

    ResponderExcluir
  45. Cara, nunca que o Bullying é algo aceitavel, pois deforma as vitimas em outro geradores de violência...

    Fique com Deus, menino Valdeir Almeida.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  46. Achei legal o texto,mais um ótimo vídeo sobre o tema é http://www.youtube.com/watch?v=u82iT78I9Hg

    ResponderExcluir
  47. Minha filha sofre dimais na escola e eu não sei mais o que eu faço para este ano eu mudei ela de escola acha que almenos na escola ela vai poder estudar em Paz,ate na casa de parentes e amigos as pessoas maltratam ela ela ja não gosta mais de ficar saindo e que so ficar em casa eu tenho medo das reoções disto tudo na vida dela para o futuro,no começo eu achei que o problema era ela mas depois percebi que ela so chorava e se entristecia com as brincadeiras bobas e sengraça;obg:Dani

    ResponderExcluir
  48. Precisei mudar meu filho mais novo de escola,pois ele já não queria ir mais,procurei conversar com ele tentar descobrir o que estava acontecendo.Estive varias vezes na escola para conversar com a diretora mas nada era resolvido.Um dia ele me falou que tinha 4 meninos batendo nele,ele me disse os nomes de cada um;fui novamente á escola e a diretora falou para eu leva-ló ao psicólogo,pois ela achava que tudo era imaginação dele,pois tenho outro filho o mais velho que é portador de paralisia cerebral,e ela achava que isso estava relacionado com o irmão.Hoje o coloquei em uma escola do estado e tudo mudou,ele participa de todas as atividades e não reclama na hora de ir.

    ResponderExcluir
  49. adorei,vcs,são de mais

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.