Procura-se um texto


Tenho o título, mas não tenho o texto. Você tem? E você? Ei, você que está passando, me dá um texto? Ninguém tem um texto? Pode ser qualquer um; o que não quero é que meu título recém-nascido já comece órfão a vida.


Bom dia, dona Moça! Vim aqui colocar um anúncio no seu jornal. O classificado deve ser assim:

“Busco um texto para meu título. Procurar-me na casa s/n, aquela de cinco portas e nenhuma parede. O ponto de referência é um carro sem lataria, sem motor, sem nada, só com pneus. E ao lado do carro tem uma árvore sem troncos, sem galhos, só folhas. Quem me der um texto, será bem gratificado".

Imagem: Stock photo

6 comentários:

  1. Caro Valdeir,
    Mesmo sem texto algum você é original e criativo, parabéns. Quanto a textos, devo dizer o seguinte: Não consigo escrevê-los, eles escrevem-se por si só. Sempre que abordo um assunto este toma o controle do texto e se faz, isto é, sou mero instrumento de meus textos, sou o escrevinhador que nada manda e comanda, digita apenas. É assim que é em meus posts. Abraços, JAIR.

    ResponderExcluir
  2. Acho que um título sem texto é um livro com uma capa bela, e todo em branco por dentro.

    Não é inútil. Como uma caneta, cada um escreve o que quiser por ali.

    ResponderExcluir
  3. Olá Valdeir

    Um texto sem título pra mim é um grande estímulo à imaginação, faz a gente criar e imaginar várias formas de como pode tomar um ponto de partida.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Uma folha em branco, uma caneta, e um pouco de imaginação e já está!!!
    Abraço
    Isabel

    ResponderExcluir
  5. Almir Ramos da Silva22 de setembro de 2009 17:51

    Esse título faz recordar seis personagens a procura de um autor, de Pirandelo, Teatro do Absurdo.
    Gosto de coisas assim, que na verdade são mentiras, já que existe o texto e existe o título, não há o que contradizer.
    É, portanto, criativo e não vazio, rico e original.
    Vou ler mais textos seus, tenham ou não um título.
    Almir

    ResponderExcluir
  6. Dá-me o texto e dar-te-ei um título, dá-me um título e não serei nada mais que um punhado de palavras sem força para vigorar.

    Almir Ramos da Silva

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.