22 de maio de 2010

Falta de tempo, excesso de infelicidade


A humanidade inventou o tempo cronológico. Depois dele, as pessoas conseguiram se organizar, executando suas tarefas de modo sistemático.

Mas agora a humanidade criou a neo-cronologia que, na verdade, ultrapassa as definições do tempo e vai até os conceitos anômalos de comportamento.

De acordo com a neo-cronologia, a falta de tempo e o excesso de atividades são símbolos de produtividade, de eficiência e de status.

Portanto, os neo-cronologistas desenvolvem projetos apenas para satisfazer os olhares da sociedade e não como uma realização pessoal. Consequentemente, não vivem para si nem para a família. Têm conhecidos, mas lhes faltam amigos. Podem até ter uma conta bancária expressiva, porém a saúde está debilitada, porque o corpo não suporta pressões contínuas e a mente necessita de descanso.

Ser eficiente não é viver numa correria desenfreada. É ter qualidade de vida para, de fato, ser um bom profissional, poder desfrutar da companhia das pessoas queridas e ter a oportunidade de realizar projetos de interesse pessoal. E isso o tempo cronológico nos ensinou muito bem. (Texto de Valdeir Almeida)



27 comentários

Max Martins 22 de maio de 2010 22:09  

Valdeir,

E esse comportamente trouxe doenças e síndromes novas para a sociedade moderna. A palavra stress, por exemplo, não estava no meu dicionário na adolescência e continua fora do meu vocabulário pessoal. Entretanto, as pessoas sofrem tanta pressão com a correria cotidiana que acabam vítimas do tempo e se privam do convívio com as pessoas mais próximas, como tu bem disse.

Um forte abraço e um excelente fim de semana!

Marise von 22 de maio de 2010 22:35  

Valdeir,

Tempo é um luxo.
Luxo que não podemos nos dar ...
É dado a todos na mesma medida.
É um luxo que não tem preço.

Abraços e um excelente domingo.
Marise.

Carlos Augusto Matos 23 de maio de 2010 03:30  

Valdeir

Concordo com vc, concordo com suas palavras ao final do texto...Essa correria do dia-a-dia é maluca, acredito que mata as pessoas mais rápido ainda...Ninguém para pra nada... As amizades estão ficando pra trás ou só ficam no msn... É lastimavel para onde as pessoas deste mundo seguem...Mas...

Abração...

Rute 23 de maio de 2010 10:48  

Ao ler o seu texto, lembrei-me do texto de Mário Quintana, ao qual eu sei de cor e todas as vezes que abro minha agenda e vejo tal dia palestra, outro dia contação de história em ong,manhã aula para ed.infantil a tarde prova para os adultos da alfabetização, a noite...., eu penso:___Meu Deus não tenho tempo para nada!!
Mas no mesmo momento penso:__Rute o tempo quem faz é vc, só saber moldá-lo.

Deixo aqui a falta de tempo de Mario Quintana

FALTA DE TEMPO
A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.

Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.

Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.

Desta forma, eu digo:

Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.

Mário Quintana

Beijinhos a vc!

digitaqueeuteleio 23 de maio de 2010 11:02  

Acredito que há uma constante confusão ou generalização por grande parte das pessoas em achar que qualidade de vida é estar sempre de olho no trabalho. E aí, o que falou acima acaba sendo uma constante na vida delas: a saúde não aparece.

Abraço, Valdeir.
Marcelo.

Luciano A.Santos 23 de maio de 2010 14:10  

Valdeir,

A sociedade vive cada vez mais presa às aparências e ao tempo, porém se libertar não é tão fácil, se bem que preciso. Em meu trabalho fui transferido para um local mais calmo e que em breve será "vizinho" de uma biblioteca. Sinceramente, não penso em me mudar de lá, rs.

Abraços.

Diego Borges 23 de maio de 2010 16:33  

De fato, essa correria doida esta nos fazendo viver menos o presente e viver mais um futuro que não nos pertence pois viver mesmo é quando vc pode olhar pra traz e ter algo mais pra contar alem do serviço e do transito ruim.
Fico feliz Valdeir que ainda não é tarde pra nos, mesmo essas novas tendecias sociais tendo grande sucesso em sua instalação. Basta que entendamos que viver o presente é bem mais seguro que pensar apenas em um futuro que ninguem sabe quando chegará.
Brigadão pela sua visita , que Deus te abençõe infinitamente mais .
Um abração de Sucuri pra vc ! kkkkkk

Teresa 23 de maio de 2010 17:30  

De facto, o tempo pode ser uma escravatura. Tendemos a viver em stress constante, pressionados para produzir cada vez mais, consumir cada vez mais, sermos sempre jovens. Precisamos para e pensar o que nos faz realmente felizes.
Bjs

Janeisa Tomás 23 de maio de 2010 17:55  

Oi Valdeir, pior que é isso mesmo, hoje em dia ter tempo para a família, lazer e também conhecimento está virando artigo de luxo, é um atropelo só, pois chegamos ao final do dia com a sensação de não ter conseguido dar conta de todas as tarefas impostas, tempo é qualidade de vida e não podemos deixar que ele vire artigo de luxo.
Abraços,
Janeisa

"Política sem medo" 23 de maio de 2010 18:50  

Ah, querido Valdeir, essa neo-cronologia nao me influenciou muito nao, meu amigo pois largo o que estiver fazendo para receber bem um amigo que aparece. Essas conversas nos fazem tao bem! E aqui no interior do Canada parece que as pessoas pararam no tempo. Nossos vizinhos nos visitam com o enorme copo de cafe com leite na mao so para podermos conversar um pouquinho. Isso a qualquer hora, sem motivo. Sabe que no Brasil eu jamais fui a casa do meu vizinho, nunca tinha tempo embora gostasse de todos eles? Talvez fosse por trabalhar muito, voce sabe como e a vida de professor. Deveria portanto sim le-los visitado mais. Tenho saudades deles. Um beijo.

"Política sem medo" 23 de maio de 2010 18:51  

Querido,eu quiz dizer te-los visitado.Ok? Sorry!

Roniel A. Julio 23 de maio de 2010 23:40  

Amigo Valdeir, esse texto é uma grande verdade. As pessoas andam correndo contra o tempo, e acabam por esquecer que a vida é uma breve passagem, e sendo uma breve passagem, essas pessoas deixam de viver e de serem felizes. Felicidade é poder compartilhar a família, os amigos, viajar, ensinar e brincar com seus filhos... Ser feliz é viver a felicidade em toda a sua essência. Abraços. Roniel.

Silvana Marmo 23 de maio de 2010 23:47  

Gostaria de pedir licença paea responder com um poema de Fernando pessoa.
Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um
oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...
Meu carinho
Silvana Marmo

Alma Inquieta 24 de maio de 2010 09:19  

Olá Amigo Valdeir!

Tens toda a razão do mundo meu Amigo!
Por isso as pessoas transformam-se em números e máquinas..., não admira que os valores se vão perdendo...
Que triste vida e que pobres são essas pessoas, ainda que tenham uma gorda conta bancária...!

Um beijo e uma excelente semana.

Sheila Passuello 24 de maio de 2010 09:31  

Bom Dia amado, a falta de tempo tem gerado falta de AMOR.
O AMOR só é possível quando há tempo para ele.
Ele é uma sementinha que deve ser regada dia a dia, com carinho, paciência, perseverança, etc, todos esses atributos exigem muito TEMPO.
E....as pessoas não estão dispostas a gastar seu TEMPO com o AMOR, pois ele realmente dá muito trabalho.
Como consequência vemos ai esse mundo cheio de violência, corrupção, ....nossa nem preciso continuar, né?
Então faço uma pergunta?
Não dá muito mais trabalho e perde-se muito mais tempo para tentar corrigir aquilo que pela falta de TEMPO foi gerado?
Será que as pessoas ainda não acordaram para esta realidade?
Poderia ser tudo tão mais simples.
Sentar-se para assitir o Pica-Pau com seus filhos, ir passear num parque e desfrutar da alEgria de todas aquelas crianças correndo e se divertindo, deitar debaixo das cobertas quentinhas e comer uma pipoquinha com seu pequeno, enfim...parece ser dificil?
Não né? Porém os frutos seriam tremendos. Teríamos certamente adolescentes mais felizes, seguros, amáveis,...
Porém estas pequenas coisas exigem TEMPO.
E por falar em TEMPO.....
Olha como ele faz toda diferença.
Você encontra tempo para visitar meu blog e ainda para fazer comentários, isso é demais.
Sei que nós blogueiros gostamos muito de receber visitas e seguidores e comentários, mas muitas vezes percebo que quem entrou em meu blog só estava ali mesmo para pedir que eu o seguisse, dizem "seu blog esta ótimo, seu blog é isso e aquilo", porém percebe-se que não leram uma única palavra, não é assim com vc também? Acho que não né? Vejo muitos cometários aqui. Mas certamente este é o fruto que vc colhe por dar atenção a todos aqueles que por aqui passam.
Isso se chama AMOR.
Amor ao próximo, amor pelo TEMPO que aquela pessoa passou para produzir, copiar, ....um matéria, ou vídeo, ou....
Obrigada amado, por ter entrado em meu mundo, seja ele virtual, precisamos de mais pessoas como vc.
COM TEMPO E AMOR NO CORAÇÃO.
Jesus esteja contigo e te abençoe grandemente.
Este é o desejo de um coração sincero.
Tenha uma linda semana, regada de muitas alegrias, e muito TEMPO para o AMOR pois isto lhe trará muita FELICIDADE.
http://sheilapassuello.blogspot.com/

Sumie 24 de maio de 2010 12:19  

Valdeir pior que essa loucura desenfreada,gera sérios problemas de saúde.

•.¸¸.•*♥*•.¸¸.• Sanzinha •.¸¸.•*♥*•.¸¸.• 24 de maio de 2010 15:21  

Valdeir,

Fiquei muito emocionada quando li seu comentário no meu blog. Até o publiquei num post. Eu não gosto de agir daquela maneira, mas, se for preciso, não tenho problema nenhum em fazê-lo. Sou inteira em tudo o que faço e não me escondo atrás de máscaras. Os que me cativam conhecem o melhor e o pior de mim, porque sou verdadeira sempre.
Muito obrigada por tanto carinho e respeito.
É um presente poder chamá-lo de amigo.

Beijo carinhoso.

Éverton Vidal Azevedo 24 de maio de 2010 19:38  

Tens razao meu amigo. Nao dá pra passar a vida "ajuntando riquezas" e se esquecer de viver, na escassez ou na fartura, com felicidade e sem deixar de lutar por melhores condiçoes.

Um abraço!

Cleriton Pandini 24 de maio de 2010 19:41  

Muito bom esse tema. As pessoas fazem as coisas correndo para dar tempo de... fazer mais coisas! É uma questão de pensamento: "Estou feliz assim? Qual é a minha prioridade?".

Muitobom. Gostei.
Abraço, Xéris.

Iara 24 de maio de 2010 19:50  

Texto muito bom.. o cotidiano se tornou extressante diante da sobra de atividades no fim do tempo. A qualidade de vida deve ser a meta individual de quem precisa se sentir bem, fazer o que gosta e assim ter bons relacionamentos e fazer outras pessoas felizes também.

Beijos!

Roberto Hyra 24 de maio de 2010 20:46  

A exposição e a velocidade da informação está transformando os seres humanos em caricaturas de si mesmo. Eles não fazem mais as coisas pelo valor que existem nelas, mas por uma necessidade de autopromoção. Isto põe em risco nossos valores pessoais e nossas origens. Infelizmente.

Elisa 24 de maio de 2010 21:19  

Olá professor Valdeir!

Concordo com tudo que escreveu. O tempo é mesmo algo difícil de ter, e está ficando cada vez mais raro para nós. Digo: o tempo útil. Aquele tempo em que queremos paz, descanso, relaxamento, e até um encontro com nós mesmos.

Hoje tudo é corrido, estressante.

Beijos... Demoro, mas apareço rs

Daniel Moraes 25 de maio de 2010 00:06  

O tempo hoje em dia é valioso e se vive pra ele. O problema é que se perde-se tempo demais em coisas que não valem muito a pena. Tem texto novo no Sub Mundos. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Leila 25 de maio de 2010 00:48  

Olá,

Fazer qualquer coisa para manter as aparências e satisfazer os outros não leva a nada. Acho que o motivo por trás disso é o medo de perder sua posição social, medo de perder o emprego, etc.

Neto 25 de maio de 2010 10:17  

Concordo com seu texto, Valdeir! O "tempo útil" tem se tornado cada dia mais escasso, em detrimento de outras coisas puramente banais nos dias de hoje. É por isso que precisamos ter o nosso próprio tempo, senão...

Forte abraço, amigo!

Juninho Santos 25 de maio de 2010 10:32  

Oi Valdeir, é verdade, as pessoas não conseguem tempo para satisfazer suas necessidades pessoais, tudo giro em torno da busca pelo status social. Resta saber onde é que isso vai terminar.

uma ótima semana pra vc.
Abraços!

Eduardo 21 de agosto de 2010 22:37  

Caro editor do Falta de tempo, excesso de infelicidade



Dias atrás, entramos em contato para levantar seu interesse em participar de nossa rede de referências e conteúdo.

Até o momento, não recebemos resposta a respeito do interesse de vocês de compartilhar conteúdo, em temas de interesse comum entre a Prestus® e seus leitores e comunidade.



Como dissemos, o projeto objetiva abordar o importante assunto da “Falta de Tempo, Produtividade e Qualidade de Vida”, para o que distribuiremos uma série de textos e informações a respeito do assunto, com exclusividade, para os sites parceiros.



Uma das contrapartidas (opcional), será o fornecimento de links monitorados, individuais, de forma a garantir que o usuário que chegar até a Prestus® através destes links, gerará comissionamento para o portal que publicou a notícia, no valor de 12% da primeira mensalidade paga pelo usuário ao nosso Clube.



Caso este não seja o canal adequado, por favor, nos indiquem a melhor forma de contato. Caso não adotem modelo de negócio comissionado, ou aceitem apenas publicidade, por favor nos retornem para futuros contatos.



Atenciosamente,

Eduardo Andrade

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO