25 de março de 2011

O Valor do Abraço, Amplexo da Criação

Amplexo da Criação



Percebam o abraço: um bom abraço.

Como os corações se aproximam, os rostos; o calor um doutro,
um noutro.

Reverberação cutânea, respiração respirada, toque anímico,
enlaçamento carne-alma.

Quando Deus criou os seres, a cada um abraçou, e deu-lhes o
sopro da vida, bem de pertinho
(E assim foram

os primeiros

seis dias...)

Poema de Weslley M. Almeida (Le-Tranças)



O Abraço é uma necessidade humana. É o encontro entre uma alma e suas semelhantes. Tem como resultado a sensação de refúgio, supressão da solidão. É uma manifestação tão sublime, e ao mesmo tempo tão imprescindível, que as palavras não surgem para descrevê-la. Mas as palavras – magistrais, diga-se de passagem – não faltam para Weslley ao falar desse assunto. Na poesia Amplexo da Criação, ele parece traduzir o que todos nós sentimos e pensamos a respeito do abraço, mas não conseguimos verbalizar.

Weslley inicia o poema com uma espécie de convite – ou seria conclamação? – para que seus leitores “percebam o abraço”, e enfatiza: “um bom abraço”. Afinal, o abraço autêntico não é o que se usam apenas as mãos em vez dos braços (o limitado e insosso tapinha nas costas) nem a saudação banalizada Um abraço, tchau. O amplexo verdadeiro é aquele em que os “corações se aproximam, os rostos; o calor [humano]um doutro”.

O termo amplexo – embora graficamente cause estranheza – é tão-somente o sinônimo de abraço. Sua origem etimológica está no latim amplexus, palavra formada a partir da junção do sufixo ambi (ao redor) com plectere (dobrar, entrelaçar). Entretanto, a licença “poético-semântico-etimológica” me permite ir além e dizer que amplexo nos remete à amplitude, visto que abraçar traz grandes benefícios psicológicos e emocionais; manifesta-se em diversas ocasiões; e está presente em todas as formas de relacionamento.

Está comprovado que crianças não abraçadas tornam-se adultos com graves problemas emocionais, como carência extrema, baixa autoestima e dificuldades nos relacionamentos. E o remédio contra tais males é justamente suprir a alma (“toque anímico”) com aquilo que lhe faltou na infância: o abraço acolhedor, capaz de “aproximar corações”.

Outra característica “ampla” do abraço é o fato de ele ser sempre o protagonista em várias situações. É a ele que recorremos para demonstrar felicidade na comemoração de uma conquista ou na celebração de uma data importante. É esse calor humano que utilizamos para consolar quem sofreu alguma perda. Além disso, através do abraço manifestamos alegria por ter reencontrado pessoas que são importantes para nós (mesmo quando tal reencontro é cotidiano e diuturno).

Por fim, o abraço é intrínseco a todos os relacionamentos interpessoais. Através dele, o ser humano lembra que é essencialmente social e, portanto, não está condicionado a viver na solidão. Logo, o abraço se manifesta, por exemplo, entre mestres e alunos. Entre pais/mães e filhos – mesmo quando estes já são adultos. Entre amigos, independentemente do gênero (coitado do machão metido a besta que diz que abraçar outro homem compromete a masculinidade; é uma expressão eivada de preconceito e que revela insegurança sexual, carência e dificuldade de lidar com o próprio afeto). Entre atletas que não se importam com o suor do companheiro; o que vale é celebrar a vitória através de gritos e abraços efusivos. E, obviamente, entre os enamorados, num interpenetrante entrelaçar sensorial e corporal.

A alma, quase sempre, tem dificuldade de recorrer ao universo das palavras para expressar o que sente ou de comunicar-se com outras almas. Essa função, muitas vezes, cabe ao poeta: ele escuta as vozes inaudíveis da essência humana, em seguida as verbaliza, como fez Weslley. Por isso, não é exagero afirmar que os leitores, de norte a sul, são abraçados pelo poeta através dos versos dele. E quando tais versos tratam do abraço, parece haver uma comunicação direta com quem os lê, pois o amplexo, uma das mais belas criações divinas, é uma forma de conexão imprescindível para o ser humano. Bem aventurado aqueles que não se privam das oportunidades de receber/dar um abraço, um bom abraço.



P.S.: Como visto, a poesia de Weslley não apenas verbalizou minha visão a respeito do abraço, mas também inspirou-me a produzir este post. Visitem o blog dele. O título é Le-Tranças, onde as palavras se entrelaçam, se perdem umas nas outras para encontrarem novos sentidos, como o abraço.

(Texto de Valdeir Almeida)


36 comentários

Malu 24 de março de 2011 19:55  

Excelente postagem!
Um abraço tira as dores do corpo inteiro... inclusive as dores da alma!
Abraços

"Política sem medo" 24 de março de 2011 20:57  

Ola querido Professor Valdeir, que bom que voce fez essa magnifica defesa do abraco. Eu nunca tive tempo de ser uma estudiosa das boas maneiras mas desde novinha (isso ja se vai meio seculo)eu sempre gostei muito de abracar bem forte. Isso me tem dado muitas alegrias porque a sensacao que se tem e de que quando voce aperta bem mesmo o outro tambem e contagiado e tambem se entrega a essa sensacao tao boa de sentir. Comigo nao tem abraco morno. Tenho uma amiga que me escreve e diz, quero aquele seu abraco de duas voltas, rsrsrsrsrsrs. Olha nao tem coisa melhor. Abracos querido, daqueles bem fortes. Fique com Deus.

Weslley M. Almeida 24 de março de 2011 22:09  

Caro Val,
Seu texto reverbera e amplifica os sons da poesia, imergindo na etimologia, passeando nas relações psicoafetivas que a ausência (ou prática) deste ato - o abraço - pode ter na vida de uma pessoa.
Sinto-me lisonjeado pelas interlocuções.
Até a próxima!
Abraço!

Paulo Francisco 25 de março de 2011 00:59  

Então receba um abraço!

Roberta Fraga 25 de março de 2011 06:45  

Não é a toa que se fala em terapia do abraço.
Ótimo texto, ótimo tema.

Mônica 25 de março de 2011 08:13  

E verdade. Ganhar um abraço é a melhor coisa do mundo!
com carinho Monica

LILIANE 25 de março de 2011 10:11  

Valdeir.
que texto belíssimo.
cabe muitas reflexoes, com certeza.
mas falarei de uma, que me deixa mais sensível.

sofri muitos problemas na infância e adolescência e por muitos anos tinha pavor do abraço da minha mãe.
tivemos uma relação muito doente, neurótica mesmo, (hoje superada graças a Deus) e quando ela se aproximava para me abraçar (as "benditas" datas comemorativas) eu tinha a impressão de ser invadida, parecia que eu estava apanhando, tamanho o desconforto.

Desenvolvi fibromialgia e toc por conta da falta desse Abraço Curador.

Então, hoje consciente das minhas limitações, não deixo de transmitir amor aos meus filhos. Abraço muito os meninos.

E neste abraço tão gostoso, tenho sido curada emocionalmente.
Vale a pena dar um abraço carinhoso.
É maravilhosa a sensação de paz quando somos abraçados com amor.

Valdeir, receba então o meu abraço carinhoso, neste dia.
Obrigada pela presença e pelo carinho lá no blog, viu?
beijinho

Du 25 de março de 2011 11:09  

Nunca na minha vida conhci alguém que gostasse tanto de abraços quanto eu! Já viu o vídeo desta campanha? Free Hugs Campaign AMO!!!

Abraços, amigo!

Neto 25 de março de 2011 15:55  

Sensacional! Mais uma aula perfeita!

É muito difícil escrever o que se sente em sua profundidade, mas neste texto, você conseguiu não só fazer isso como tambem conseguiu traduzir e desnudou o significado do abraço.

Isto me faz lembrar de coisas boas obviamente, mas tambem daquela arte de alguns que queirem "disfarçar com seu abraço" que mantem e nutrem uma certa amizade por outro alguem. Estes, com certeza, não conhecem o significado do verdadeiro amor - que, na verdade, se manifesta no abraço. Tenho pena deles, pois assim como todo disfarce é descoberto suas casas cairão, e não terão mais forças para levantar. Bem sabemos, amigo Valdeir, que, infelizmente, estamos rodeados de pessoas assim.

Mas, enfim, olhemos para o bem, para o futuro e para o lado bom. E deixemos, os maus, entregues à sua propria sorte que, sabemos, nunca prevalece.

Excelente texto. E um grande abraço amigo! Bom saber que voltaste ao Ponderantes, e voltaste com tudo! ;)

Professora Carla Fernanda 26 de março de 2011 15:34  

Boa tarde!!
Vamos abraçar muito!!
Começo mandando um para você e belo post!!
CArla Fernanda

Jorge 26 de março de 2011 17:52  

Belo texto, Professor.
Como diz a professora Carla, vamos abraçar muito e sempre!!!!

Um grande abraço!

choco 26 de março de 2011 19:58  

no abraço côncavo
eu me resguardo
- finjo-me carente
bj
ana

Eric Felipe 27 de março de 2011 00:23  

Interessante a reflexão iniciada pelo Weslley e que você, com excelência, Valdeir, soube desenvolver e desmembrar minuciosamente!
Mais movido por questões emocionais que por qualquer outra coisa, eu sempre fui um grande apreciador de um abraço... "um bom abraço"! Concordo contigo que ele é capaz de unir almas e fazê-las interagir silenciosamente através do sentimento e do "acolhimento" e não duvido nem um pouco do poder que ele tem de transformar a forma de ser/agir das pessoas!

Obrigado por esse presente que você nos concedeu com essa reflexão!
Adorei ter conhecido esse seu espaço!

Grande abraço - um bom abraço!

Wanderley Elian Lima 27 de março de 2011 08:45  

Olá Valdeir
Nada mais gostoso que um abraço bem apertado, da pessoa que gostamos, seja ela quem for, É a maior troca de energia que conheço.
Grande abraço para você

Luna Gandra 27 de março de 2011 17:58  

Abraçar e ser abraçado é tão gostoso. Já postei um texto sobre um abraço que recebi, e esse, de tão marcante que foi, ainda sinto ao fechar os olhos.

Marise von 27 de março de 2011 19:26  

Olá Valdeir!
Volto com mais tempo...mas não posso deixar de te dar um grande abraço.

Marise.

Rute 28 de março de 2011 19:06  

Olha só quem voltou!! Seja bem vindo Valdeir
Um grande abraço a vc.
Beijos

Gisa 28 de março de 2011 21:57  

Abraço é realmente uma delícia!
Seja bem-vindo por lá, quanto a mim, sigo-te
Um grande bj querido amigo

Eliane Accioly 28 de março de 2011 22:00  

Abraçar ser abraçada que maravilha!
Um abraço

Judite 30 de março de 2011 21:57  

Boa noite, Valdeir!
Tudo bem?

Vim te deixar um beijo e avisar que estamos de volta!

http://www.youtube.com/watch?v=kxE2WXm5QoY

Um beijo carinhoso.
Deus seja contigo.


Yehi Or!
http://hajalluz.blogspot.com/

Prof. Adinalzir 30 de março de 2011 22:39  

Prezado Valdeir
Ando sumido, mas sempre apareço. Realmente, o abraço é uma verdadeira terapia. Conforta e acalenta, com toda certeza!
Por isso mesmo, envio um grande abraço para você!

Pena 31 de março de 2011 04:56  

Estimado e Sublime Amigo:
Num abraço está todo o encanto e beleza da amizade.
Quantas vezes apenas desejamos um abraço sincero.
Excelente!
Um Post mágico e perfeito.
Bem-Haja, pela atitude maravilhosa que adorei.
Abraço bem forte de respeito, estima e consideração.
Com admiração constante pelo que concebe de maravilhar e deslumbrar.
Tem um Blogue de fascínio.
Parabéns.

pena

Bem-Haja, notável amigo.
Cria a beleza imensa em "explosões" sensíveis do seu ser.
Adorei.
Parabéns.

Poesias Amantes 1 de abril de 2011 12:01  

muito obrigado elo comentário em meu blog... li seu texto e gostei muito do jeito que você coloca um simples gesto em um desenvolvimento complexo... estou te seguindo aqui também um forte abraço =D

Juninho Santos 1 de abril de 2011 12:05  

Por isso Você é um professor. Valdeir, ler esse texto me trouxe uma reflexão muito reconfortante.

Eu sempre gostei de contato físico, de abraçar com sinceridade, e o melhor de tudo isso são as energias trocadas por um gesto tão simples e singelo quanto o abraço.

Até a próxima Valdeir.
Um forte abraço!

Carolina 2 de abril de 2011 22:25  

Excelente post! Muito bom.

O abraço é uma das melhores formas de encurtar distâncias entre duas pessoas. Uma tradução de calor e aconchego puro.

bjos meus

Zina 3 de abril de 2011 16:29  

Olá Valdeir, boa tarde!

Hoje vim te deixar meu abraço e agradecer por seguir-me.

Já te sigo também!

Teu blog é ótimo! Muito bom,mesmo.

Virei aqui todos os dias. Aqui se aprende lendo.
Parabens!

Alma Inquieta 4 de abril de 2011 03:03  

Olá Amigo Valdeir,

É lindo o teu texto!
Sabes? Um abraço, muitas vezes, tem o poder de dizer o que as palavras não alcançam... por isso existem os abraços em que sobram as palavras!!!
A minha filha, o anjo sem asas que Deus me enviou para acompanhar-me nos caminhos desta vida, dá-me desses abraços... creio que é a pessoa que melhor consegue ler-me! Basta olhar para mim para perceber quando os necessito! E sempre que os necessito, tenho-os!

Obrigada, Amigo, pela visita.

Já tinha saudades de te ler.

Um beijo e que tenhas uma excelente semana.

Ebrael Shaddai 5 de abril de 2011 09:34  

É quase instintivo, não é? O homem, se aquecendo contra frio da indiferença, produzindo, doando e trocando calor! A-braços = de braços dados, de braços juntos. Quando a felicidade é irresistível, a suave prisão do abraço nos previne da liberdade irresponsável.

Abçs e boa semana!

Pérola Anjos 6 de abril de 2011 11:24  

Um abraço expressa o que a alma dita e não pode ser traduzido em palavras. Um abraço acalma, afaga, alivia, alegra, revigora, salva.

Beijoss!

Esplendor da Criação 14 de abril de 2011 15:55  

Obrigada pela visita em meu blog, vim conhecer o seu e gostei muito, principalmente deste texto. A poesia de seu amigo é muito expressiva sim, mas seu texto a partir da poesia ficou maravilhoso, verdadeiro. Nada faz tão bem, como um abraço bem apertado. Deixo 1 abraço pra vc. Ah! O abraço virtual, quem sabe o próximo texto???

José Fonte de Santa Ana 15 de abril de 2011 09:21  

Prezado Valdeir, em minhas pesquisas pela internet vez em quando paro em alguns Blogs para refrescar, como quem o faz em um ponto de parada no meio da estrada, para dar uma pausa em uma viagem longa e as vezes cansativa, para reabastecer as energias. Em seu caso, dos textos que nos prestigia, para refrigerar o espírito.
Abraços fraternos, inspirados por seu texto.
José Fonte de Santa Ana

Poeta69 17 de abril de 2011 18:21  

Um abraço!

Emíliana 18 de abril de 2011 13:24  

Nada melhor do que um abraço.
Boa semana e um abraço.

amanda 25 de abril de 2011 15:19  

Puxa! não me importava tanto com o valor do abraço \o/

passarei a me importar mais a partir de agora :D

bjo

Gilvânia 20 de maio de 2011 00:28  

Valdeir,

Em primeiro lugar gostaria lhe dar os parabéns para esse maravilhoso espaço, que para mim soa como "inspiração". E eu, que estava fazendo uma busca despretenciosa sobre o abraço... E, encontrei verdadeiras obras primas. Parabéns a você e ao Weslley.

Ps. Como fã, ficarei atenta a novas postagens.

UM FORTE E GRANDE ABRAÇO!

Valdeir Almeida 20 de maio de 2011 22:16  

Gilvânia,

Eu que agradeço pela sua gentileza. A poesia de Weslley é inspiradora. E isso acabou virando mote para meu texto.

Obrigado por acompanhar o blog. Seja bem-vinda.

ABRAÇÃO.

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO