2 de novembro de 2010

O Dia de Finados e os Vivos-Mortos


“Tenho medo é dos vivos”. Eis aí uma frase clichê, porém sábia. Quem já morreu, se faz presente mediante o que construiu material, intelectual e afetivamente (memória/história). Mas devemos ficar atentos a muitos seres humanos que ainda estão por aqui. Eles são vivos em confabular contra seus semelhantes.


São indivíduos asquerosos, cujo lema é a prática de maldades, como a de criar boatos de tal modo consistentes, que são capazes de provocar inveja nos trabalhos dos cânones da dramaturgia. Por isso, os leitores/ouvintes que absorvem qualquer informação sem questionar acreditam nos factóides e, o que é pior, vão reproduzindo nas rodas de amigos e nas igrejas cristãs que se vendem por um prato de lentilhas e de poder político.

Os praticantes do mal e as pessoas que o repercutem estão mortos por dentro: são sepulcros caiados vazios de humanidade. Quanto a esses vivos-mortos, devemos, sim, ter muita cautela. Eles não vão puxar nossa perna no meio da noite, mas nos darão uma rasteira na primeira oportunidade. São mais assustadores do que alma penada, porque, embora ajam na surdina, as consequências de suas atitudes são visíveis, concretas, táteis e dolorosas.




17 comentários

Daniel Savio 1 de novembro de 2010 19:42  

E tod ato será julgado pela tribunal superior, talvez não agora, mas sim no final dos tempos...

Fique com Deus, menino Valdeir.
Um abraço.

Wanderley Elian Lima 1 de novembro de 2010 20:07  

Olá Valdeir
E esses mortos vivos, quase sempre vêm falando em nome de Deus.
Abração

Paulo Francisco 1 de novembro de 2010 23:13  

Eu também tenho medo somente dos vivos. Um abraço.

Rute 2 de novembro de 2010 02:26  

Olá Valdeir, seja bem vindo sentir sua falta na Literatura, obrigada pela sua visita.

Não lembro quem canta a música Valdeir, mas a letra é mais ou menos assim:

(Perdoe-me quem conhecer a letra e estiver alguma frase errada).

"Sepulcros caiados,
Por fora santos e inocentes,
Deus vê seus corações
E a podridão de suas mentes

A todos querem enganar
Com sua aparência santa
Mentindo, enganando, tramando
Mas Deus você não engana"

Faço côro com o Paulo , tenho medo dos vivos.
Beijos, ótimo feriado a vc.

Neto 2 de novembro de 2010 12:51  

Perfeito. Tema perfeito e bem escrito sobre essa gente. Tambem costumo tocar no aspecto deste assunto em meu blog justamente porque sou uma pessoa que valorizo e amo a transparência. Tanto nas pessoas, quanto nas empresas e instituições.

E sim, temos que ter mesmo cautela redobrada com quem vive nas sombras e trabalham na surdina. Não são pessoas de bom coração.

Catarino 2 de novembro de 2010 13:03  

Realmente o perigo está nos vivos, os mortos são só saudade e não podem fazer nenhum mal.

Carlos Augusto Matos 2 de novembro de 2010 13:52  

Eu não tenho medo de ninguém, nem do Diabo... Medo é pra quem não tem coragem de enfrentar o próprio medo...

Chato eu né?

Abração...

Marise von 2 de novembro de 2010 17:44  

Valdeir,

Realmente temos que temer só os vivos...
Hoje é um dia muito triste, trás muitas lembranças.

Abraços e uma excelente semana.
Marise.

2 de novembro de 2010 18:46  

Sentindo saudades suas meu amigo amado.
e com certeza suas palavras são sabias, também tenho medo é dos vivos, principalmente os que estão tão perto nós.
Quem não tem medo dos humanos??? prefiro os animais mais ferozes aos humanos.
Beijos meu lindo feliz com sua volta!
Rô!

Mente Hiperativa 2 de novembro de 2010 18:51  

Eu tambem sempre achei que deveria me preocupar com os vivos, e com os mortos deixar-lhes que descansem em paz.

Weslley Almeida 2 de novembro de 2010 20:01  

Essas almas-penadas que vivem a criar contendas precisam ressuscitar para a vida em abundância, com leveza, e observar aquela sugestão de Jesus, que ora parafraseio: tira a trave do teu olho antes de querer tirar o cisco do teu irmão...

brasildobem.net 3 de novembro de 2010 12:14  

Super correto, devemos mesmo é ter medo dos "muito vivos" que sugam a energia e vivem para a prática do mal.
Grande abraço!

Daniel 3 de novembro de 2010 12:28  

Sempre achei isso, que os que metem medo mesmo são os vivos, pois, as práticas malévulas destes são sentidos por nós no dia-a-dia. Tem texto novo no Sub Mundos. Um abraço.

http://submundosemmim.blogspot.com

Vanessa 4 de novembro de 2010 06:29  

Deixemos os mortos descansarem em paz. São mesmo os vivos-mortos que nos dão trabalho.

Um excelente dia pra vc.


bjs

Juninho Santos 4 de novembro de 2010 14:04  

Meu caro Valdeir, por isso tudo que "eu tenho medo é dos vivos".

Ótima semana pra você.

www.humoralizar.blogspot.com

LILIANE 5 de novembro de 2010 08:30  

Valdeir
os mortos interiormente são perigosos porque matam a esperança, o sonho e a alegria dos outros.
Não suportam a vida.
gostei muito da reflexão
beijinho querido
fica com Deus

Marcio Nicolau 7 de novembro de 2010 15:17  

você tem toda razão: muitos fantasmas nos assombras, vultos, sombras de gente muito viva(!) que quer nos sabotar.

"É preciso estar atento e forte
Não temos tempo de temer a morte"

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO