7 de agosto de 2010

A dança das urnas eletrônicas e o suplício da votação


Na eleição de 2008, esperei seis horas para registrar meu voto. O problema não foi a extensão da fila. Leia o texto abaixo e entenda o absurdo.


“Ninguém costura remendo de pano novo em roupa velha; porque o remendo novo tira parte da roupa velha, e fica maior a rotura”. (Marcos, 2.21). Essa passagem bíblica tem total relação com a concepção de modernidade no Brasil.

Há uma propaganda maciça de que o sistema de urna eletrônica é bastante moderno e praticamente infalível. Entretanto, estão colocando remendo novo em tecido velho. Isto é, o que adianta ter um sistema tão avançado atuando num contexto extremamente atrasado? Para que fazer uso de tecnologia de ponta, quando as mentes e a educação dos que comandam esse sistema não progridem?

Ontem, fui exercer meu “direito obrigatório” de cidadão. No entanto, permaneci quase seis horas na fila. Motivo: urnas com defeito na minha seção.

A primeira estava em boas condições. Mas, aproximadamente uma hora e meia depois, parou de funcionar. A partir daí, iniciou-se uma saga de urnas quebradas, que iam e viam. No total foram 8 (isso mesmo, oito, VIII, eight, ocho, huit, ********) urnas que não serviam para nada.

Houve protesto na fila – obviamente. Formou-se tumulto. Mesários foram ameaçados e quase agredidos fisicamente. A polícia apareceu; a imprensa também.

Ao perceber que não tinha alternativa, o TRE decidiu, quase 6 horas depois, que o voto seria manual, ou seja, por meio do papel.

Não vimos técnicos em informática aparecerem para verificar se o defeito era realmente nas urnas. Não testemunhamos a presença de eletricistas para observarem se o problema era na fiação elétrica do recinto. O TRE decidiu muito tarde substituir as urnas pelas cédulas. Foram muitos os remendos velhos costurados sobre o tecido novo do sistema de votação mais avançado do mundo.

Indubitavelmente, se eu não tivesse a obrigação de votar, deixaria aquela fila na primeira meia hora. Não iria estragar meu domingo. Atitude que a maioria daqueles eleitores também tomaria.


Texto escrito e publicado em 06 de outubro de 2008, sob o títuloPor que o voto é obrigatório no Brasil, parte II


24 comentários

Daniel Savio 7 de agosto de 2010 21:44  

E o pior, por mais que custe o ato de votar, acabamos deixando a mazelas destes politicos exploradores no governo...

Fique com Deus, menino Valdeir.
Um abraço.

Otelice Soares 7 de agosto de 2010 21:59  

Pois é, Valdeir e mais um suplício vem por aí. E o triste é que percebemos o sacrifício vão de todos nós eleitores, quando olhamos a nossa volta e nada encontramos para justificar a nossa luta em busca de melhorias.
Um grande abraço e parabéns pelo texto.

LISON COSTA 7 de agosto de 2010 22:08  

Saudações!
Amigo Valdeir:
Você passou por um verdadeiro calvário. É por essa razão que eu sou favorável ao voto facultativo.
Parabéns pela excelente matéria!
Abração,
LISON.

Max Martins 7 de agosto de 2010 22:09  

Boa, Valdeir!

Tem toda a razão.
Não adianta um sistema moderno se temos outros dois problemas que precisam ser sanados há muito:

1- As pessoas não entendem como funciona a política; não se interessam em aprender sobre política;

2- Nossa classe política não transmite confiança a ninguém. Creio que este seja o pior dos problemas.

Penso que as escolas poderiam ter uma disciplina sobre esse assunto, que é vital para o desenvolvimento do país. Mais uma tarefa para os professores, mas sem educação a leitura de mundo é prejudicada. Enfim, são tantas mazelas...

Bom ler mais um texto seu.

Um forte abraço

Wanderley Elian Lima 7 de agosto de 2010 23:06  

Olá amigo
Felizmente ainda não passei por isso, mas concordo ser um absurdo o que aconteceu. Quem não tem competência que não se estabeleça.
Abração

Renato Orlandi 7 de agosto de 2010 23:06  

Infelizmente ilustra bem o sistema a qual estamos aceitando, sim, não "sujeitos" porque a partir do momento em que não se faz nada concorda com o que está vigente... Eu sempre digo que a EDUCAÇÃO pode resolver esse e talvez conseqüentemente os demais problemas do nosso país... Ninguém me ouve.. rs.. Gde abraço!

Carlos Augusto Matos 8 de agosto de 2010 04:39  

Se eu pudesse não votar... Não votaria... Pois político promete e no fim nos joga no inferno...

Abração...

Janeisa Tomás 8 de agosto de 2010 15:50  

Às vezes tanta tecnologia não significa preparo, ou seja, teria que ter por dever técnicos à disposição para eventual reparos nos danos ocasionados nas máquinas. Isso sim seria um ato de cidadania para com os eleitores, respeito e consideração, que infelizemnte não ocorreu.
Abraços

Prof. Adinalzir 8 de agosto de 2010 19:37  

Meu Caro Valdeir

Seu post está excelente e muito atual. Vamos torcer para que esse problemas não se repitam novamente com nenhum de nós.

É por isso que temos que lutar pelo voto facultativo.

Um grande abraço, :-)

Juninho Santos 8 de agosto de 2010 20:10  

Que bom que vc retornou ao mundo dos blogueiros Valdeir!
Muito bom texto. É uma situação muito difícil,mas como todo brasileiro, temos que ter muita paciência, e usar nosso voto para que haja melhoras.

Luma Rosa 8 de agosto de 2010 22:46  

Foram sorteados! E dizem que nosso sistema é o mais moderno. Que adianta "moderno" sem manutenção?
Seja bem-vindo!!

9 de agosto de 2010 08:11  

Mais um ano de polica meu querido amigo. eu confesso já nção tenho mais vontade de votar. E aprendi com meu pai que votar é ato honrrado, mas apenas por nós pobres eleitores. E sou a favor do voto se eu quizer, tudo o que nos é imposto nunca dá certo.
Boa e linda semana pra ti meu querido e obrigada por seu carinho de sempre!
Beijos!

Luciano A.Santos 9 de agosto de 2010 10:40  

Valdeir,

Votar por aqui é relativamente tranquilo - cidade pequena, menos de 2 mil eleitores - mas, por via das dúvidas, sempre voto na parte da manhã, pois costuma ser mais calmo ainda.

Pessoalmente, não confio muito em toda essa segurança das urnas eletrônicas que é alegada. Sei lá. Modernidade e avanço mesmo é facultar o voto.

Grande abraço.

Marcio Nicolau 9 de agosto de 2010 12:32  

"Caboclos querendo ser ingleses" é o que somos.

Delírios Gourmet 9 de agosto de 2010 15:33  

Gostei muito do seu blog e já sou seguidora. Quando puder, visite o meu cantinho, tá? Uma ótima semana!

http://deliriosgourmet.blogspot.com

junio 9 de agosto de 2010 16:15  

E tudo continua com dantes, professor!... Nada muda se a mente não muda rs

Danilo Carvalho 9 de agosto de 2010 22:33  

É uma pena o voto ser obrigatório, vai de encontro a toda uma fundamentação democrática na país! É preciso ser garantido o voto facultativo! E pior, nos brasileiros não sabemos votar (independente de partidarismo), é comum vermos em época de eleição muitos vendendo o voto.

Grande abraço Valdeir! Bom semana!

LILIANE 10 de agosto de 2010 13:57  

Generalização é uma forma de mostrar o que se quer.
No Brasil, isso acontece naturalmente.
Ninguém comenta os muitos casos que escapam da generalização.
Sistema de votação moderno e infalível???
Preferia que tivéssemos um sistema ultrapassado e com boas escolhas a serem feitas; pessoas de comprovada capacidade e caráter para administrarem o nosso país.
Excelente postagem Valdeir, e os amigos que comentam sempre ampliam nossa visão.
Por isso gosto tanto daqui.
Um abraço

Alma Inquieta 10 de agosto de 2010 15:33  

Olá meu Amigo Valdeir!

Seis horas???
Só com o voto obrigatório!
Garanto-te que aqui a fila terminava num instante!
Nem eu lá ficava! E olha que faço questão de votar sempre, nem que para isso tenha de fazer 200 Kms para ir votar e outros 200 para regressar a casa!

Meu amigo, eu já sei que não publicas selos, mas, ainda assim..., isto consta no meu blog de prémios... "Quiero, aún, que conste que es otorgado al blog Ponderantes, pero como sé que el Profesor Valdeir, por razones personales y profesionales no lo va a publicar... no se queda en la lista....

Um beijo e que tenhas uma excelente semana.

Rute 10 de agosto de 2010 20:24  

Toda obrigação incomoda.
Ou seja, sendo obrigatório ou facultativo, o voto pode se tornar mercadoria.
Ótima postagem!
Beijos a você!

Weslley Almeida 10 de agosto de 2010 21:57  

Comentei hoje a resppeito do voto nulo. muitos o criticam, eu não. As opções são tão "boas" que - via de regra - este seria o voto mais honesto. Mas, acredito, que temos que escolher o melhor (se houver) dentre os candidatos.
O caso da urna é um exemplo de ineficiência que pode ser usada também como metáfora para o próprio funcionamento da política brasileira.
Quanto ao voto obrigatório , ele expressa que ainda não somos tão democráticos assim, e indica a despolitização contundente do brasileiro.

Neto 11 de agosto de 2010 13:39  

Valdeir!

Em primeiro, agradeço-lhe pelo texto que me enviou por email. Vou ler com atenção. Em segundo, digo que já havia lido este seu post antes, porem não comentei por causa daquela tal falta de tempo. De certa forma, o relógio continua brigando comigo (risos).

Acredito que, como foi interessante e importante a mobilização pelo Ficha Limpa, também era necessário que se fizesse uma mobilização para conscientizar os eleitores quanto ao 'voto'. A fiscalização dos institutos nas eleições ainda é precário, e embora o Brasil dê um exemplo de modernidade quando o assunto é tecnologia aplicada ao processo eleitoral (elogiada por muitos países lá fora) na prática a coisa é outra. Deixa muito a desejar, infelizmente.

Só para ter uma ideia, nas eleições americanas, Obama usava amplamente a web e as redes sociais (até com links patrocinados no google), por aqui a gente vê regra encima de regra e juízes batendo cabeça no assunto. Ou seja, caminhamos a passos de tartaruga.

Espero que de fato melhore, mas assim como esse seu texto tudo ainda continua igual. Abraços.

♫ ♪ Wilson ♫ ♪ 11 de agosto de 2010 20:35  

Olá amigo Valdeir,

Que bom que você voltou..

Deixo aqui meu abraço e te desejo uma boa noite.

Eu voltei e me afastei de novo. Meu tempo está escasso..affe...

abração!

•*♥*• Sanzinha •*♥*• 11 de agosto de 2010 20:52  

Oi, Valdeir!

Ah, não vou falar de política, não... nem de urna.
Agora não.. rs
Mas deixo aqui o beijo carinhoso, o desejo - já - de um bom fim de semana e um viva pela sua volta.

Viva! \0/

Beijo grande!

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO