21 de novembro de 2009

Seu nome é Jade


Sou bom fisionomista, mas tenho imensa dificuldade para memorizar nomes. Caso eu converse com alguém apenas uma vez, seu rosto estará em minha memória por muitos anos. Mas não digo o mesmo em relação ao nome. É por isso que tenho o mau costume de chamar José de Adolfo, Maria de Bruna.



Na livraria onde compro meus livros, sempre fui atendido cordialmente. Apesar disso, não conseguia gravar o nome de uma das funcionárias. Certa vez, após meses em que ela pronunciava meu nome sem titubear e eu forçava a mente para tentar lembrar o dela, perguntei como ela se chamava.

– Jade! – ela respondeu.

Duas semanas depois, voltei lá para adquirir um novo livro. Jade, como sempre, me recebeu gentilmente:

– Boa tarde, Valdeir, como vai?

Eu respondi “tudo bem”, mas muito envergonhado, porque havia esquecido o nome dela. Diante do constrangimento, expliquei-lhe minha dificuldade “nomística”, e lhe pedi que dissesse novamente como se chamava. Ela respondeu, sorrindo:

– Jade!

Uma palavra dissílaba, constituída de duas vogais e duas consoantes. Simples assim! Eu poderia memorizar. Já se tornava uma questão de honra. Eu tinha que me esforçar:

– Eu já sei como fazer para não esquecer – eu disse – Você tem o mesmo nome de uma personagem que Giovanna Antonelli interpretou em “O Clone”. Pronto. A partir de agora, sempre vou lembrar. Pode estar certa disso.

Minha estratégia funcionou. Agora, todas as vezes em que vou à livraria, e vejo que serei atendido pela simpática Jade, inicio mentalmente o processo de checagem do seu nome: “O Clone”, Giovanna Antonelli, Jade. Pronto: o nome dela é Jade: “Oi, Jade, tudo bem?”



Em tempo: Já que eu falei em simpatia, não posso deixar de registrar a forma igualmente gentil como Lete – da mesma livraria – me atende. Interessante é que memorizei o nome dela desde o princípio. Mas há uma explicação para isso: conheço algumas pessoas chamadas Lete.



Imagem: Stock photo

19 comentários

Daniel Savio 22 de novembro de 2009 00:44  

Hua, kkk, ha, ha, eu te entendo, como eu mudo de sonda, acabo esquecendo o nome do pessoal, olha é quinze dias trabalhando com eles...

Fique com Deus, menino Valdeir.
Um abraço.

Wanderley Elian Lima 22 de novembro de 2009 07:04  

Oi Valdeir, sabe que tenho o mesmo problema que você em relação aos nomes, uso a mesma tática que você usou no caso da Jade, isto funciona mesmo.
Um abraço

Amigao 22 de novembro de 2009 11:08  

Não tenho essa dificuldades com nomes femininos, eu só troco Sheila po Shirley e Patricia por Priscila, e por aí vai. Já com os nomes masculinos a dificuldade desaparece pois chamo todo mundo de meu amigão.

bom dia amigão!

Neto 22 de novembro de 2009 12:35  

Apelidos são mais facéis de gravar. Tenho dificuldade de lembrar de nomes longos como 'Melquisedeque' por exemplo. Mas se ele disser me chame de 'Melk' aí fica fácil.

Minha dificuldade em memorização é pouca, Valdeir! Até porque, em minha profissão, não posso me dar ao luxo de esquecer nomes, números, ou cores. rs

Mas entendo o que quis dizer. Acontece.

Te enviei um email. Abraços

brasildobem 22 de novembro de 2009 15:28  

Oi Valdeir, ao contrário de vc. sou excelente fisionomista e também de ótima memória para guaradr nomes. As pessoas ficam impressionadas, porque eu não só dou o nome como o sobrenome e de pessoas que não vejo há anos.
Bjs.
janeisa

Marise von 22 de novembro de 2009 16:33  

Valdeir,

Esquecer nomes é um problema...
Acredite, meus alunos não admitem que eu esqueça o nome deles.
Quando pergunto: quem foi o seu professor de filosofia e sociologia no ano anterior, ou se veio de outra escola, quem era o seu professor da disciplina?
Eles simplesmente esqueceram.
Eu consigo lembrar, por exemplo o nome de todos os meus alunos bons e maus...mas os outros não.
Seria muito bom, se tivessemos uma memória fotográfica...
Uma excelente semana.
Abraços,
Marise.

Weslley 22 de novembro de 2009 21:48  

Eu sou terrível em gravar nomes também. Tento fazer associações - como o seu texto exemplifica -, geralmente funciona. Mas, ainda assim, é com dificuldade enorme.
O pior de tudo é quando a pessoa se lembra do seu nome e você nem sabe de onde conhece aquela pessoa... Aí é mais terrível ainda... rs!

Alma inquieta 23 de novembro de 2009 09:32  

Olá Valdeir!

Muito bonito!
Que bela forma de se penitenciar pelo esquecimento!

Um beijo enorme amigo da Alma!

Pâmela Marques 23 de novembro de 2009 13:56  

Hahaha.

Ainda bem que sou boa de memória, pois não assisto novela.
Muito bom o texto. De verdade.

Jeanne 23 de novembro de 2009 18:29  

É a mesma tecnica que uso, faço uma relação mental com outra coisa ou pessoa.
Funciona.
Tenho a mesma dificuldade,rsrsrs...
Beijos

Vagner Lopez 23 de novembro de 2009 22:49  

kkkk!!! Fala meu querido amigo Valdeir. Rapaz, eu tenho o mesmo problema que você. Estou falando com a pessoa ou me apresentam determinada pessoa... Ouço o nome e certamente minutos depois eu esqueço. Também apelo pro mesmo recurso - que por sinal é muito engraçado e infalível -, que você. É uma situação totalmente constrangedora, mas sabemos dar a volta por cima, não é verdade?

Um grande abraço. Ótima semana.

Renato Fierce 24 de novembro de 2009 08:17  

Boa forma de memorizar!!! Vou seguir seu exemplo, também sou péssimo para nomes, e as vezes, meus pacientes não podem falar, para dizer seus nomes rs, então complica um pouco... gostei! rs, abração!

Elzenir 24 de novembro de 2009 16:55  

Olá, Valdeir, vc não é o único...quantas pessoas chamam a outra de meu bem, para não errarem o nome...rs...bjs

Roberto Hyra 25 de novembro de 2009 08:41  

Pois é, professor Valdeir!

Eu costumo muito esquecer datas.

"Política sem medo" 25 de novembro de 2009 22:57  

Querido Professor Valdeir, obrigado por visitar meu blog! O senhor nao encontrou os selos porque a pagina esta com problemas que ja estao sendo sanados. Espero que da proxima visita possa pega-los. Eu nao havia conseguido posta-los na barra a direita por isso eles ficaram postados nos posts mais antigos e sairam da pagina.Perdoe-me! Quanto a esquecer os nomes, nao se preocupe nao, e mal dos professores, pois lidamos com muitos nomes diariamente. Um abraco, querido!

Luna Gandra # 26 de novembro de 2009 11:04  

Eu sou boa com nomes e fisionomias, mas sou ruim quanto a elogiar as pessoas !

Luma Rosa 26 de novembro de 2009 23:38  

Também tenho muita dificuldade para guardar nomes e faço associações, como você. Agora, não me pergunte qual associação faço para guardar o nome da minha gerente de conta. Ela se chama Xana.

Beijus,

Edvalter 13 de março de 2010 11:33  

Muito interessante esta situação que pode estar no nosso cotidiano e continuar engraçada. Valeu!!!

MARIA COSTA 13 de março de 2010 16:11  

Oii amigo

Eu tambem passo pela mesma situação, mas o me é pior eu alem de esquecer o nome eu tambem esqueço de onde eu conheço, ja passe por varios constrangimento, as pessoas fazem a maior festa ao falarem comigo e eu fico voando sem saber de onde eu conheço, é uma vergonha total.
Bjs

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO