26 de outubro de 2009

Vida no Parque


Texto de Filipe Almeida, 11 anos, meu sobrinho:

Sempre que vou ao parque, pergunto a mim mesmo o que estou fazendo ali. Sinto-me livre por estar em meio à natureza, aos animais, ao vento. Fico feliz com a alegria das pessoas naquele lugar. Eu acho lindo como os veterinários tratam os animais. Os bichinhos ficam tão quietos quando são examinados e tomam remédios.

A vida no parque é assim, muita alegria, conforto e paz. Quando estou triste e vou ao parque, às vezes converso com os animais para me distrair. Será que sou normal? Claro que sou!

O parque é um dos lugares que mais visito, é onde ando de bicicleta, vou passear no lago e tomo ar puro, porque lá não tem poluição nem carros circulando, só bicicletas. A vida tinha que ser assim, calma, alegre, e é por isso que eu vou sempre ao parque para descansar e esquecer um pouco os problemas que vejo na sociedade.

Imagem Stock photo:


21 comentários

Junior Silva 27 de outubro de 2009 00:11  

Olá Valdeir
Parabéns pelo sobrinho, ele tem futuro na arte da escrita, gostei do texto dele, bem sincero, verdadeiro.

Abraços.

Vagner Lopez 27 de outubro de 2009 00:19  

Curtir a natureza e fugir dessa selva civilizada repleta de buzinaços, fumaça e trânsito louco é mesmo um alento pra alma e com certeza faz esquecer um pouco os problemas do dia a dia.

Grande abraço, meu amigo.

Daniel Savio 27 de outubro de 2009 13:15  

Se uma criança já tem esta noção, por que acabamos esquecendo isto quando crescermos?

Fique com Deus, menino Valdeir.
Um abraço.

Roberto Hyra 27 de outubro de 2009 14:18  

Sim, eu também faço isso. Aqui onde moro tem o Parque da Jaqueira que é excelente para caminhar, correr, praticar esportes, enfim, sentir-se feliz e limpo ao respirar um ar puro e não poluído. É uma maravilha. Quem dera todos os parques do nosso Brasil tivessem essa atmosfera. Grande abraço amigo professor.

Marise von 27 de outubro de 2009 16:53  

Valdeir,
Crianças são sinceras e o que elas escrevem vem do fundo do coração.
Deveriamos prestar mais atenção, no que elas dizem e escrevem.
Como muitas vezes, não damos a devida atenção, não sentamos para conversar, discutir as suas idéias, eles acabam se tornando adultos como nós e deixam para trás toda essa sinceridade...questionamento, reflexão.
Parabéns Filipe, continue escrevendo, pensando, refletindo...e serás um grande homem.
Há e não deixe de visitar os parques... Adorei o seu texto.
Abraços,
Marise.

brasildobem 27 de outubro de 2009 18:40  

belo texto do Filipe e o melhor é que ele tem este espaço maravilhoso pra poder exercitar essa arte da escrita que é maravilhosa, sobretudo com o apoio dos leitores.
Bjs. Filipe e siga adiante porque vc. é ótimo.
Janeisa

Weslley 27 de outubro de 2009 21:22  

Esse texto me deu uma vontade de por um idéia antiga em prática: comprar uma bicicleta e deixar um pouco mais o carro... além de ecologicamente correta, a bicicleta proporciona uma liberdade, vento na cara, aventura... e conciÊncia limpa.
Parabéns Filipe (e Valdeir por publicar o texto)!

Andreia 28 de outubro de 2009 00:36  

Valdeir,
teu sobrinho é um encanto!
Ouvir estas palavras de uma criança é muito gostoso.
Bom seria se nós adultos tivéssemos está visão tão ampla e puro, com certeza teríamos um mundo muito melhor.
Dê um beijinho carinhosos nele por mim, lindo!
Obrigada pelas ricas palavras e pelo apoio, podes ter certeza de que estou me sentindo bem melhor!
Beijoas na alma querido...

Lugirão 28 de outubro de 2009 07:25  

Valdeir, seu sobrinho com 11 anos tem plena conciencia do que o cerca, dos problemas sociais, eu quando tinha essa idade não tinha esse tipo de preocupação. É num texto simples como esse que se percebe a mudança no estilo de vida das pessoas. Eu andava de bicicleta na minha rua, e o nosso parque era um terreno na frente de casa, onde corríamos , jogávamos bola, ou simplesmente ficávamos sentados ou deitados na areia branquinha jogando conversa fora, bons tempos aqueles, onde realmente a violencia , poluição eram bem menores e a vida mais tranquila...

Alma inquieta 28 de outubro de 2009 09:09  

Olá Amigo Valdeir!

Parabéns ao sobrinho pelo texto!
É lindo!
Que mais posso dizer!?
Sai ao tio Valdeir, não tenho dúvidas!

Um beijo enorme meu Amigo!

Wanderley Elian Lima 28 de outubro de 2009 14:26  

Realmente amigo Valdeir, um passeio ao parque acalma e faz bem para a alma, lá só se encontra com pessoas felizes e a natureza é exuberante.
Abração

Wanderley Elian Lima 28 de outubro de 2009 14:28  

Em tempo: Dê o meu abraço de parabéns ao Filipe.

28 de outubro de 2009 17:13  

Meu amado!

Tem selinho pra você aqui::..
http://mimosdavovoro.blogspot.com
Com carinho!

Caio Abreu 29 de outubro de 2009 12:25  

Parabens pro sobrinho! Aos 11 ja escreve assim, imagina qd crescer...

Me fez lembrar da famosa frase: "todos estão preocupados em deixar um mundo melhor para nossos filhos, netos, mas quando se preocuparão em deixar filhos melhores para o mundo"?

Parece que seu sobrinho ja está pronto para a nova consciencia :)

Abçs

Neto 29 de outubro de 2009 13:15  

Passear no parque é uma de minhas atividades prediletas, assim como levar meus filhos à praia.

A harmonia da natureza faz bem ao meu espírito.

Obrigado pelo comentário sobre a DRU, Valdeir! Já estava interessado mesmo em pedir e saber sua opinião :)

Forte abraço.

Filipe Almeida. 29 de outubro de 2009 20:14  

Tio,obrigado por colocar o meu texto no blog.E vou continuar com essa sede de escrever,e vou melhorar cada dia mais e mais,e escrever textos mais bonitos do que esse.

HSLO 29 de outubro de 2009 21:05  

Brilhante! É preciso incentivar esse garoto cada vez mais...viu.

Abraços de luz e paz.

Hugo

Profª. Vânia Almeida 30 de outubro de 2009 09:41  

Se todos nós adultos tivessemos o pensamento e pureza de uma criança, certamente não teríamos tanta coisa ruim no mundo.

Bom fim de semana!

Atreyu 30 de outubro de 2009 10:27  

11 anos e dando rasteira em muita gente! Garoto escreve bem!
=D
Parabéns pra ele! ^^

Catarino 30 de outubro de 2009 16:32  

Ótimo texto, a vida simples realmente é a melhor. Vivemos correndo e nem olhamos para a natureza.
Seu sobrinho está de parabéns tanto pelo texto quanto por gostar dos animais e da natureza.

LILIANE 2 de junho de 2010 12:44  

Filipe e titio Valdeir,

Lendo o seu texto Filipe, lembrei de mim. Nesta idade, um pouquinho menos talvez, já queria ser escritora, uma inventora de historias.
Entretanto, por vários fatores, inclusive falta de estimulo da família deixei o habito de escrever de lado.
Por muitos anos, lutei para voltar a escrever, e agora aos quase 38 anos, estou realizando o sonho de escrever.
Que bom que você existe!!!
Que bom que te conheci! Realmente as crianças são fantásticas. Curta muito esse momento especial da vida e escreva, sempre...
Aproveite esta Bênção maravilhosa de ter um tio que também é escritor e professor, que te apoia e certamente te AMA MUITO.
Parabéns aos DOIS. Especialmente, por serem Quem são.
Carinhosamente,
Liliane

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO