29 de agosto de 2009

Amizade Versalizada


Poema do Amigo

Amigos...
Histórias, vivências
Choro, risada
Sóis, invernos
É a dialética dessa estrada.

Quem não anda por ela não anda
Busca o ser no não-ser.


O texto acima é do poeta-escritor Weslley Moreira de Almeida. Através dessas palavras, ele expressa o valor primaz de um amigo.

A amizade é fundamental para a saúde emocional de qualquer pessoa. Isso porque somos seres, cuja estrutura psíquica exige companhia de outros iguais a nós para estabelecermos identificação.

Creio que é justamente a identificação que Weslley quis abordar ao dizer:

“Quem não anda por ela [estrada de amigos] não anda
Busca o ser no não-ser”.

Ou seja, apenas no outro – que é semelhante a nós – nos reconhecemos. É como se precisássemos dessas pessoas para lembrarmos quem somos. O outro se torna, pois, um espelho necessário para o infinito processo de construção de nossa identidade.

Desse modo, quando não temos esse amigo que se apresenta como um afetuoso espelho, não conseguimos nos reconhecer; não somos quem realmente somos. Tornamo-nos um “não-ser”. E passamos a caminhar numa estrada solitária onde a única estação é o inverno e o choro é nosso único consolo.


P.S. Weslley Moreira de Almeida é autor do livro “Pétalas, Talos e Espinhos”, de onde foi extraído o “Poema de Amigo”.


Imagem: Free Desktop Wallpaper

7 comentários

james penido 29 de agosto de 2009 16:45  

Belo poema.Não conhecia o autor.Gostei muito.Grande abraço e um ótimo final de semana.

Juliano 29 de agosto de 2009 20:12  

Quem não anda por ela [estrada de amigos] não anda
Busca o ser no não-ser.

Muito perfeitoo.!

Abraços..!

Du 29 de agosto de 2009 21:13  

Sem meus amigos eu não teria a força que tenho hoje para seguir meu caminho, com o coração saudável... Amigos são fundamentais na nossa vida!
Poema singelo e perfeito!

Beijos!

Valdemir Reis 30 de agosto de 2009 01:34  

Olá amigo Valdeir.
Aproveito e venho matar a saudade fazendo uma visita. Valeu chegar até aqui! Confesso que gostaria de voltar com mais freqüência, porém o “MBA” continua firme e o tempo ficou muito dividido, entretanto organizei momentos para visitar os preciosos amigos(as). Na oportunidade quero compartilhar de Machado de Assis o poema: “BONS AMIGOS. Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir. Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende. Amigo a gente sente! Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar. Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende. Amigo a gente entende! Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar. Porque amigo sofre e chora. Amigo não tem hora pra consolar! Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade. Porque amigo é a direção. Amigo é a base quando falta o chão! Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros. Porque amigos são herdeiros da real sagacidade. Ter amigos é a melhor cumplicidade! Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho, há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!” Desejo um ótimo fim de semana. Muito sucesso, muita paz e luz. Brilhe sempre! Fique com Deus. Felicidades.
Valdemir Reis

Anônimo 30 de agosto de 2009 17:09  

Os amigos prestigiam os amigos...
Grato pela menção a este meu poema, meu amigo Val.
Seu desenrolar dissertativo sobre ele traz mais intensidade ao mesmo, e me faz - até mesmo - relê-lo sob outros vieses semântico-poéticos.
Weslley.

8 de setembro de 2009 20:12  

Belo e profundo poema! Tens um dom em sintetizar o essencial, coisa que a mim é dificílimo (rs). Parabéns! Muito bom lê-lo sempre e fazer parte do seu rol de amizades. Bjins e até!

Valdeir Almeida 11 de setembro de 2009 14:41  

Jô,

Muito obrigado por ter gostado da poesia. Você tem razão: é uma poesia bela e profunda, mas ele não foi escrito por mim, mas sim, pelo escritor Weslley Moreira. Apenas a leitura que fiz sobre o texto é minha.

Obrigado por comentar.

Abraços.

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO