1 de abril de 2009

Vergonha nacional: os altos salários dos professores

Os vereadores laboram de segunda à sexta, oito horas por dia, num ambiente turbulento, hostil e sem infra-estrutura. Apesar disso, recebem apenas um salário mínimo por mês. É uma das remunerações mais baixas entre todas as classes trabalhistas.


Só para citar um exemplo, nas Câmaras de todo o País faltam materiais imprescindíveis para a execução das funções desses políticos, como mesa, cadeira, tinta para impressora e papel. Além disso, por trabalharem arduamente pelo povo, nossos parlamentares municipais sofrem constantes ameaças dos poderosos (inclusive à mão armada).

Um vereador – que não quer ser identificado – diz que pensa em sair da vida política. “Todos os cargos públicos eletivos – não apenas o de vereador – são desestimulantes. Trabalhamos exaustivamente a favor da população. E é por isso que muitos inconformados magnatas invadem nossos gabinetes para nos ameaçar e, muitas vezes, chegam a cumprir a ameaça”. Esse vereador, que usa chinelo de dedo e uma camisa desbotada, ainda acrescenta: “Na maioria das vezes, temos de tirar o dinheiro do próprio bolso para suprir a falta de material de trabalho. Com isso, no final do mês, não sobra quase nada, pois, como já é público e notório recebemos os piores salários do Brasil”.

Enquanto os políticos reclamam, com razão, dos baixíssimos salários, os professores brasileiros – incluindo aqueles que lecionam para as séries iniciais – ostentam o contracheque mais gordo do País. Seus ordenados chegam a oito mil reais mensais. Por conta disso, o termo Mestre virou sinônimo contemporâneo de Marajá (já incorporado aos dicionários).

Muitos organismos sociais empreendem uma luta permanente para tentar combater essa astronômica disparidade. Eles já sugeriram aos deputados e senadores vários projetos de lei para redução dos salários colossais dos professores brasileiros. Entretanto, os documentos nem chegam a ser discutidos, em virtude da bancada da Educação no Congresso. Essa bancada formou um impiedoso lobby que insurge contra qualquer coisa que tente diminuir os privilégios dos professores.

João da Silva e Silva, coordenador de uma ONG, reclama que a alta remuneração dos docentes é desproporcional ao ambiente de trabalho em que eles atuam. “Nas escolas particulares ou publicas, todos os alunos são disciplinados e educados. Nunca respondem aos professores. Adicione-se a isso que as instituições de ensino são tão tranquilas e silenciosas que uma professora chegou a dormir dentro da sala de aula, diante dos alunos adolescentes do Ensino Médio”, diz o coordenador.

Para afirmar isso, João da Silva e Silva se respalda em dados concretos, que trazem outras revelações, como o fato de os professores não necessitarem desenvolver trabalhos extraclasses, conforme se imaginava. “Só seria trabalhoso se a realidade do alunado e de sua comunidade fossem totalmente diferentes da comunidade escolar. Mas, como as realidades são as mesmas, qualquer projeto é inútil”.

João revela também que os professores não precisam mais perder seus finais de semana corrigindo avaliações. Afinal, as provas foram extintas das escolas há muitos anos.


Este foi o sonho que a professora Maria José teve, enquanto ficou desacordada sobre uma cama de hospital.

Horas antes, a sala onde ela estava dando aula fora invadida por vândalos que estudavam na própria escola que depredavam. Maria José entrou em pânico, sofreu crise de convulsões e perdeu completamente os sentidos.

Agora – no quarto do hospital – sentindo intensas dores físicas e emocionais, a professora conseguiu sorrir sarcasticamente de si mesma. Isso porque, após olhar o calendário na parede ao lado da cama, viu que aquele era dia 1º de Abril.

Com o sorriso ainda presente em seu rosto, ela falou:

“Bem que minha realidade poderia ser uma brincadeira, uma pegadinha do Dia da Mentira. Mas minha vida é uma verdade nua, crua e dolorosa”.

(Texto de Valdeir Almeida)


Imagem: Stock.XCHNG

24 comentários

Junior Silva 31 de março de 2009 21:29  

Olá Valdeir

Realmente tenho pena dos políticos. São até agredidos pela população, coitados. Vão para em camas de hospitais...rs
Muito bom o texto. Nos estimula a rever os conceitos das coisas no Brasil.

Abraços.

minha literatura agora-james. 31 de março de 2009 22:11  

Caro Valdeir,infelizmente muitas coisas no Brasil são viradas do avesso.Eu também sou professor e sei muito bem da luta muitas vezes inglória que travamos todos os dias.Prabéns pela postagem.Abraço do James.

O que elas estao lendo!? 1 de abril de 2009 04:06  

Bom dia, o blog hoje está cheio de novidades. Passe por lá.

Abracos

Éverton Vidal 1 de abril de 2009 09:01  

Valdeir, e assim com os valores e focos totalmente invertidos o Brasil não pode mesmo caminhar pra frente. Fica estagnado, sendo levado pelo curso natural das águas, muitas vezes sendo empurrado na direção do bem e da justiça somente por aqueles a quem despreza.

Seu texto é muito criativo, e vamos continuar lutando pra que um dia algo do sonho de Maria José torne-se uma realidade. Que o valor dado a quem tem a grandiosa missão de nos educar seja maior do que o de vereadores que, sim, têm sua importância, mas que na grande maioria das vezes esquecem o porque de seus encargos assim que chegam a câmara municipal.

Abraço.
Inté.

Ps: Achei o banner do Ponderantes e acabo de levar para o Renovidade.

Vanessa 1 de abril de 2009 09:25  

Valdeir, triste realidade a dos professores que reflete um futuro negro para seus estudantes.

Abraço e parabéns pelo texto, eu quase caí. :-)

minha literatura agora-james. 1 de abril de 2009 12:41  

Caro Valdeir,tem um selo novo para você no meu blog.Você merece,meu amigo.abraço do James.

Atreyu 1 de abril de 2009 15:06  

Professor no Brasil não é valorizado!
Educação deveria ser levada a sério por todos, mas não...
O Brasil precisa mudar

Neto 1 de abril de 2009 17:41  

Eu penso que, o magistério, deveria ser a mais bem remuneradas das profissões.
Afinal, ninguem se torna um 'Doutor' sem antes ter um 'professor'...

Abraços

marialynce 1 de abril de 2009 21:02  

Pelos vistos a situação do Professor não é má só em Portugal... Triste sina a da nossa profissão que parece ter que carregar com as asneiras dos políticos!...
Abraços

minha literatura agora-james. 1 de abril de 2009 21:39  

Caro Valdeir,me desculpe,postei os endereços dos blogs,correndo ,antes de ir para o trabalho,e nem percebi que os eu faltava.tanto é que mandei a mensagem para você.me perdoe.Sempre leio e acompanho o deu blog,ele merece muitos selos.Passe lá para pegar.Boa noite.Abraço do james.

Ricardo Aiolfi 2 de abril de 2009 00:57  

verdadeiro conto do dia da mentira xD

Ricardo Aiolfi 2 de abril de 2009 10:52  

o mais engraçado é que aquilo realmente aconteceu comigo rs

auoishauisodhuaisod fiquei irritado no dia
xD
meu primo de 3 anos parecia estar me zuando asuiodhasuioahs

lugirão 2 de abril de 2009 20:45  

Valdeir, a gente pode até achar o texto engraçado a principio...pelo surreal da situação, mas quando se le o fechamento, nota-se como é deprimente.

Beijos

Georgia 3 de abril de 2009 06:24  

Pois é, seria somente priemiro de abril???

É uma vergonha...

Bom fim de semana

Caio Abreu 3 de abril de 2009 12:41  

Pobres professores... aqui na minha cidade (Vitória-ES), a média salarial dos prefessores da rede municipal é de 900 reais e os vereadores, que trabalham 3 vezes por semana, recebem 7 mil.
Triste! E enquanto esse país não acordar para educação, vamos continuar sendo o país do futuro eternamente.

Rômulo 4 de abril de 2009 08:38  

Político tem que ganhar mal mesmo. No Brasil, basta saber falar sem definir o que se fala que se consegue um grande séquito de leitores..rs Ótimo texto que ressalta muito bem a inversão de valores em nosso tempo.

um abraço

4 de abril de 2009 10:39  

KKKKKK! E não é que eu caí nessa pegadinha? Estou mesmo desligada...ia lendo e pensando: esse texto tem algo muito errado, do que ele está falando? Onde quer chegar? Em algum lugar deste país existe essa realidade, Jesus?!! Por um minuto me senti abduzida por alienígenas, estava fora deste mundo...pena que voltei à realidade quando mencionou o ocorrido com a professora Maria José. Quanta indignação a gente ainda sentirá pelo descaso com a classe que só está edificando esse Brasil? Parabéns pelo texto. Bjins e até!

Ângelo 4 de abril de 2009 19:47  

Grande Valdeir,

Excelente texto.

Uma ironia que é engraçada até chegar no seu ápice doloroso.
Muito interessante.
Não é apenas um sonho, é um sonho provocado justamente pelas dores dessa realidade tiriste em que vivem os docentes no nosso país.

Boa iniciativa a de lutar por essa causa, devemos tentar sempre postar textos que, de alguma forma, tenham cunho social. BOA.

Quanto ao selo, que mencionou em comentário no meu blog, não o encontrei, não sei bem se por inépcia minha em internet, mas me sentiria honrado caso houvesse visto e entendido(me explica, por favor). euheuhe

Grande abraço e siga o bom trabalho

Valdemir Reis 4 de abril de 2009 19:54  

Amigo Valdeir que maravilha de texto "Vergonha Nacional", vc foi muito feliz na sua abordagem, triste realidade! Cada vez que volto para olhar "ponderantes.blogspot.com, fico muito feliz e melhor! Seu trabalho é ótimo, muito interessante e rico em informação. Parabéns. São Francisco de Assis costumava dizer; "Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível." Por isso considero a vida uma oportunidade impar. Cada pessoa que passa em nossa vida não passa sozinha, por ser única, deixa um pedaço de si e leva um pedaço de nós. Quero de coração agradecer sua bondade e gentileza por; visitar-me, seguir e deixar belo comentário; agradeço de coração sua generosidade. Encontraremo-nos sempre por aqui. Obrigadooo!!! Tb quero desejar um feliz e divertido fim de semana. Muito brilho, sucesso e paz. Fique com Deus.
Volte sempre!
Valdemir Reis

L&L-Arte de pensar e expressar 14 de abril de 2009 14:18  

ola gostei de seu blog parabens quando der visite o meu www.palavrasarteblablabla.blogspot.com

Sinn-Klyss 27 de agosto de 2009 13:21  

Não se tira um viciado da praça estando ele entupido por benesses de pulhas e diplomado por álibis forjados pelos escorados na pantomima. Numa pÁtRIA em que professores poderiam ter "esperança" de ganhar 1000 Reais em 2015, e pústulas se gabam de "borça famía" e feituras de campos de concentração de pobres humilhando-se por COMIDA "barata" nos senzalões do nazi-teo-pulhismo, e computadores espalhados com jogos nocivos para infantes com 4, 5, anos de idade; uma terra em que o solo já se envergonha do povo que tem; onde encastelados correm soltos e "palhORCAS"(esse é o apelido do nefasto) riem como safados deslavados na cara da Nação, e múmias e ratos com gestos e tramas hitleristas "sensibilizam" a moçada roubada de sua liberdade; num país assim, os diplomas sáo forjados, os estudantes enganados, as teses roubadas, os talentos plagiados; pois muitas "sérias" instituições de educação estão sob a gana dos covardes embusteiros.

Robson Fernando 18 de outubro de 2009 21:12  

O desprezo político à educação brasileira deveria ser caso de polícia, tanto quanto os vândalos de escolas os quais agem como bestas diabólicas sem cérebro ou consciência de si mesmas.

Valdeir, postei seu texto lá no Consciência Efervescente, se me permite:
http://conscienciaefervescente.blogspot.com/2009/10/vergonha-da-desvalorizacao-da-educacao_18.html

Abs

Christian Paz 1 de abril de 2010 05:13  

Fantástico texto!

Parabéns!

Anônimo 28 de outubro de 2010 16:23  

Nosso país é um dos que gasta mais dinheiro com políticos,gasta mais do que a Itália ou a Espanha que são países bem mais desenvolvidos que o nosso. A educação, saúde, moradia, segurança são de péssima qualidade no Brasil. Enquanto isso o presidente Lula fica emprestando dinheiro do Brasil p/ outros países.Coitados dos professores tem que aguentar alunos o dia inteiro enquanto os políticos só trabalham o dia que querem e ganham mais que um profissional da educação. Relmente esse texto traz a visão crítica que o povo brasileiro precisa ter.

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO