25 de fevereiro de 2009

Blogueiros de Carne e Osso


Numa carta manuscrita é possível perceber um sentimento incomum no remetente. Isso pode ser identificado pelas linhas quase imperceptivelmente tortas ou por uma palavra com leves borrões provocados, talvez, por uma lágrima derramada.



Obviamente, é impossível ter tal percepção em blogs. Entretanto, quem costuma ler com frequência textos de um blogueiro em particular, perceberá quando seu dia está ruim em termos emocionais. É possível observar isso, por exemplo, em um adjetivo triste que se intrometeu em um parágrafo de contexto exclusivamente cômico. Um leitor poderia dizer: “Mas ele está utilizando o recurso da ironia; está brincando com as palavras”. E outro, especularia: “É uma incoerência textual da qual qualquer escritor é vítima. Mas bem que ele poderia ter identificado essa falha durante a revisão”.

Esses são apenas leitores esporádicos. Os assíduos logo perceberão que por trás de uma palavra de poucas letras pode conter a tristeza de alguém que tem em seu blog um pouco de bálsamo para amenizar uma dor. Afinal, nós, blogueiros, também somos humanos. Somos gente de carne e osso.

16 comentários

lugirão 26 de fevereiro de 2009 08:27  

Valdeir, excelente sua colocação, tiro por mim, em meus textos, que embora sejam poucos, mostro muito de mim, mesmo em textos fictícios, vc acaba se mostrando e só quem acompanha o que escreve é que percebe essas nuances, muito bem colocado,

beijos

Georgia 26 de fevereiro de 2009 09:45  

Valdeir, muito bom seu post sobre este assunto. Mas acredito que muitos blogueiros como eu que geralmente relata o seu dia a dia, coloca fotos, essas coisas, fica mais fácil de identificar se uma coisa nao vai muito bem.

Às vezes alguém que escreve poemas...
mas há aqueles que se revestem de um tal poder da escrita que engana a qqr um. Já aconteceu comigo. de alguém escrever algo e escrevi para o email dela oferecendo ajuda. veja o mico! hahahahhaahah!

Pois é, há de tudo...

Um abraco

J. Neto 26 de fevereiro de 2009 11:30  

Concordo com você.
As palavras, faladas ou escritas, não escondem o que se passa na alma.

Em um encontro entre duas pessoas, é possivel perceber pelo olhar e pelos gestos, essas diferenças, já nos blogs, apenas no que eles escrevem.

Já me senti assim também!...

Valdeir, agora estou entre seus amigos no Google Friend Connect
(ex-seguidores)

Abraços

Rômulo 26 de fevereiro de 2009 17:15  

Concordo com você que os blogs revelam um pouco de nós. Mas acredito que isso só se revele em parte, porque a escrita nunca consegue traduzir o que somos ou sentimos. Essa é uma grande questão ainda a ser estudada e escrevo sobre isso porque já me vi diante de situações chatas. Pois ao mesmo tempo em que transpomos parte do que sentimos para as letras , existem aqueles que (equivocadamente) acreditam fielmente que somos o nosso texto. Afinal, as palavras têm esse poder encantador de revelar e ocultar os seres ao mesmo tempo. E isso é o que impulsiona as grandes obras literárias.

um abraço

Poeta Silvério Duque 26 de fevereiro de 2009 20:42  

Meu caro Valdemir,

Agradeço muitíssimo pela tua visita e os comentários positivos... também gostei muito de teu Blog.

Um abraço,


Silvério Duque

Junior Silva 26 de fevereiro de 2009 23:15  

Olá Valdeir

Interessante seu ponto de vista. Muitas das coisas que a gente faz ou exerce no dia a dia vai um pouco da gente naquilo também. Não sei se na escrita isso seja 100% visto, ou em qualquer tipo de blog, mas creio que seja uma discussão interessante, pois envolve natureza humana, idiossincrasias, coisas peculiares de cada autor, gerando originalidade, e isso é que atraí para uma reflexão.

Abraços.

João Ananias 27 de fevereiro de 2009 09:13  

Valdeir,
Você tocou num ponto interessante, concordo em parte, nem sempre as palavras mostram o real sentimento.
Abraços.

blogdocatarino.com 27 de fevereiro de 2009 18:38  

Seu texto é interessante, realmente há dias que colocamos um texto de acordo com estamos nos sentindo, poucos percebem.
Vim agradecer sua visita e por ter dado o toque de que meu texto ficou incompleto.
Quando editei não vi que havia ficado sem o final, agora esta completo graças a sua ajuda.
Desejo que tenha um ótimo final de semana.

Cristiane Marino 27 de fevereiro de 2009 19:14  

Olá Valdeir!

Respondendo o comentário feito no meu blog:
Olá Valdeir!

Que legal você trabalha com adolescentes?
Eu gosto de dinâmicas, fiz um curso só de dinâmicas de grupo.
Acho muito interessante professores que usam dinâmicas em sala de aula tanto para quebrar o gelo no começo, auxiliando os alunos a se interarem, como durante o ano que acaba servindo em alguns momentos de sessões de relaxamento também. Que bacana! Parabéns Valdeir.

Cristiane Marino 27 de fevereiro de 2009 19:24  

Amigo!

Achei interessantíssimo seu post "blogueiros de carne e osso".
O texto é curto mas, me fez pensar tantas coisas.
Quando você comenta da revisão do texto, eu pensei nas minhas dificuldades com a gramática, sempre tive medo de colocar meus textos no blog e acabar sendo mal interpretada por algum erro de português rs. Tenho tentado dar o meu melhor.
Outro ponto que pensei foi o fato de comentar que quando estamos realmente seguindo o blog de alguém conseguimos perceber o que ela sente pela forma da escrita, penso isso também, talvez não exatamente no poema, mas no comentário que ela faz. Eu tenho uma inclinação para escrever poemas tristes, melancólicos...mas, não porque estou sentindo naquele momento mas, talvez pelo tema ter me tocado de algum modo.
Adorei seu texto.
beijos

Atreyu 28 de fevereiro de 2009 15:42  

Tem Selo pra você!
Vai lá no Blog! =D

Rômulo 1 de março de 2009 02:47  

SErá q é o dardos? Vc tem o prêmio dardos no meu blog. Vê lá depois..


um abraço

Valdeir Almeida 1 de março de 2009 13:41  

Atreyu e Rômulo,

Muito obrigado pelo prêmio e pelo selo.

Irei repassá-los.

Abraços.

blog do leivão 1 de março de 2009 20:56  

caro Valdeir,obrigado por me adicionar aos blogues que acompanha.O seu blog é um eemplo a ser seguido,para quem está começando,pela qualidade e pelo excelente trabalho,que mostra toda a dedicação que está por trás.Obrigado amigo.A propósito,acho que você certamente merece o prêmio dardos,então fique desde já informado que o passo a você.Um grande braço do james(minha literatura agora)

10 de março de 2009 17:07  

Texto maravilhoso. É preciso ler mais que uma ou duas linhas, mais que um ou dois textos, trocar mais que uma ou duas palavras para termos a certeza (ou quase toda)de que aquele que escreve está ou não num de seus melhores dias. O ato da escrita implica razão e emoção, algumas vezes uma sobressai à outra, às vezes se entrelaçam e é na magia desse ato (que eu particularmente adoro!)que construímos, refazemos e/ou demonstramos um pouco de nós mesmos. Bjins e até!

VELOSO 8 de junho de 2010 02:12  

Muito bom seu texto e muito verdadeiro, senti isso na pele quando postei "Muitas vezes mãe" apesar de não saber e ser um texto antigo eu estava muito angustiado e minha família dos blogs sentiu isso e me ajudaram a me levantar1

Postar um comentário

Blogs Indispensáveis

Membros

Creative Commons License
O Blog Ponderantes está licenciado sob uma licença Creative Commons.

© Ponderantes 2008-2012 Todos os Direitos Reservados | Início |Créditos

Voltar ao TOPO